Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?


Documentário feito como projeto de conclusão de Rebecca Cirino do curso de Arte e Mídia da Universidade Federal de Campina Grande em 2010. Ganhador de 2 prêmios de menção honrosa pelo valor histórico no Comunicuras 2011 e Curta Taquary 2011.

"O patrimônio histórico de uma cidade é testemunha de uma transformação urbana; sua preservação é importante para apresentar as futuras gerações sua história através da arquitetura.
Campina Grande é uma cidade como várias outras no país que chama atenção por ter um rico patrimônio histórico. Porém o que se conhece de patrimônio hoje na cidade está sendo destruído pouco a pouco.
A identidade da memória morta é um documentário que expõe e questiona essas destruições que se não ocorrer uma mudança rápida de pensamento geral, tanto política, quando comunitária, esse patrimônio em breve deixará de existir."


Para nós do RHCG, foi uma honra publicar o documentário de Rebecca e ficamos a disposição de todos aqueles, que têm documentários sobre a história de nossa cidade.

9 comentários

  1. Adriano on 1 de maio de 2012 11:25

    Excelente e esclarecedor documentário.

     
  2. Rebecca on 1 de maio de 2012 12:21

    Obrigada pelo espaço! Vocês contribuiram demais com esse projeto

     
  3. Mário Vinícius on 1 de maio de 2012 13:10

    Sugerimos que este documentário seja exibido nos colégios e escolas, objetivando conscientizar a nova geração... Hoje, pouco resta de Campina Grande de outrora... Lamentável ! Parabéns, Rebecca.

     
  4. Clovis Brasileiro on 1 de maio de 2012 18:17

    Este belo trabalho da amiga Rebecca Cirino foi exibido ao público em noite memorável de nosso Cine São José. Continuamos aguardando a reforma do velho cinema pelo governo estadual. A memória está se esvaindo na poeira do puir de suas paredes. INFELIZMENTE!

     
  5. Paulo Gomes on 1 de maio de 2012 20:30

    É exatamente disso que eu venho falando e sendo mal compreendido. Infelizmente isto é pregar no deserto.....Espero que esta postagem não desapareça como outra...

     
  6. Anônimo on 3 de maio de 2012 14:51

    Talvez na época de 1930,1940 as pessoas não tivesse tanta conscientização do patrimônio histórico com hoje se tem.

     
  7. Anônimo on 3 de maio de 2012 14:56

    O viaduto foi mal projetado não resolvendo o problema do trânsito naquela área, pórem como a cidade cresce e número de carros aumenta a cada dia,acho que daqui a alguns anos vai servi para quem vem do alto branco.

     
  8. maniaco_da_camera on 4 de maio de 2012 08:37

    como eu sempre disse em comentarios sobre a arquitetura da rainha da borborema em postagens diversas desse blog o memorista WALTER TAVARES confirmou no documentrio em 4:45:00 de que nossa cidade poderia competir em igual altura em relação a preservação com grandes centros historicos do brasil como olinda recife etc... esse documentario reuniu minhas dus paixões VIDEOS & HISTORIA E ARQUITETURA DE CAMPINA GRANDE parabens rebeca

     
  9. mônica Torres on 14 de maio de 2012 18:53

    Torço por vocês. Hoje moro em Recife, mas CGRetalhos é o cantinho onde descanso e alivio minha saudade. Gostaria de dar uma sugestão para divulgação. aquí em Recife, fizeram uma mostra de cinema projetada na parede de um prédio histórico, antigo, bem no centro da cidade. Atingiu em cheio o público a que se destinava.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br