Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Outra música que fala em Campina Grande é o tema "Forró de Zé Lagoa", em homenagem ao personagem de Rosil Cavalcanti. A música na voz de Jackson do Pandeiro, fez muito sucesso na região Nordeste, elevando mais uma vez a nossa cidade. Abaixo, a letra e o áudio do tema:

Forró De Zé Lagoa
Compositor: Rosil Cavalcanti

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

As oito horas Zé do Beco, o sanfoneiro
Acende o candeeiro, dá as ordem a Juvenal
Seu Zé Melado do Catô toma a primeira
E começa a brincadeira com respeito e com moral
Tem mulher boa do bairro de Zé Pinheiro
Tem uns cabras do Ligeiro tudo armado de punhal
Num reservado se vende boa cachaça
Mariquinha dá de graça tira-gosto especial

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

As dez e meia corre gente no terreiro
Se não é cabo Vaqueiro é o cabo Boca-Mole
Revista o povo e toma um saco de peixeira
Prende mulher ruaceira vai lá dentro e toma um gole
Mete o cacete com mais de nove soldados
Cabra frouxo e amedrontado lá no canto nem se bole
E Zé Lagoa que era o dono do forró
Não fez trança nem deu nó, apanhou que ficou mole

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

Se você não viu, vá ver que coisa boa
Em Campina Grande o forró de Zé Lagoa

9 comentários

  1. romulo azevedo on 9 de outubro de 2011 22:05

    É bom lembrar que além de fazer sucesso na rádio Borborema, o programa "Forró de Zé Lagoa" também teve passagem pela televisão Borborema nos idos de 1965.
    O programa era apresentado ao vivo por Rosil Cavalcante(caracterizado como o capitão Zé Lagoa)e trazia números musicais e quadros humoristicos.
    Na exposição de fotos do Teatro Rosil Cavalcante, tem registros desse programa pioneiro.

     
  2. Paulo Gomes on 12 de junho de 2012 16:51

    Existe algum registro em vídeo,mestre Rômulo?

     
  3. rômulo azevêdo on 12 de junho de 2012 20:11

    Prezado Paulo, infelizmente não existe nenhum registro em vídeo, porque o antigo arquivo da Tv Borborema(no ano que vem ela completa 50 anos no ar)foi criminosamente abandonado pelos "responsavéis".

     
  4. Paulo Gomes on 12 de junho de 2012 20:30

    Esta é uma prova da "preocupação" que o nosso povo tem coma a sua memória e talvez seja uma premonição do que pode acontecer com os arquivos do Diário da Borborema......Esperemos que esta agourenta previsão não se concretize.

     
  5. Paulo Gomes on 12 de junho de 2012 20:46

    (Em tempo) Já havia finalizado o comentário anterior quando me veio à memória, o meu tempo de criança onde tive oportunidade de presenciar algumas apresentações para crianças na nossa TV Borborema, e já naquela época percebíamos o alto grau de "amadorismo" com que eram produzidos os quadros locais. Não devemos esquecer das dificuldades inerentes à uma produção televisiva "made in interior nordestino" nas décadas de 60 e 70,o que já coloca os protagonistas e participantes de uma produção desta envergadura, na condição de verdadeiro "mágico" ou na pior das hipóteses de "herói". Acredito até que o fechamento da TV Tupi (apesar da sua importância na história da televisão brasileira) contribuiu para uma certa profissionalização da nossa TV local, principalmente no curto espaço de tempo em que retransmitiu a programação da TV Globo. E finalizando não poderia de deixar registrada a minha opinião de que quando as grandes redes (especialmente a Tupi e Globo),mantinham as suas centrais de produção centradas no Rio de Janeiro, a qualidade artísticas das suas produções eram visivelmente melhores. Com a migração paulatina das produtoras para São Paulo houve um crescimento técnico sem precedentes, porém não acompanhado pela vertente artística. Talvez seja "caduquice" de minha parte,mas ainda acho que os programas produzidos na Rio tem algo inefável que a metrópole paulistana ainda está longe de conseguir.

     
  6. Adriano on 13 de junho de 2012 07:51

    É um absurdo que não exista nada da TV Borborema, pelo menos dos anos 80. Fico muito triste, pois como trezeano e amante do futebol, grande momentos de nosso passado futebolistico foram perdidos. O Hexa do Campinense, o tri do Treze, a célebre participação do Galo no Brasileiro de 1986. Tudo isso poderia ter no arquivo da TV Borborema. Além dos programas políticos, Chico Maria etc e também os jornalísticos. Falando nisso, alguem sabe do acervo de Odicine?

     
  7. Adriano on 13 de junho de 2012 07:52

    De um documentário dos anos 70 do mestre Machado Bittencourt, conseguimos extrair o pequeno video abaixo, com imagens de Geraldo Batista na TV Borborema:

    http://www.youtube.com/watch?v=lRAOjo110L0&list=UU-k3cHRcXNQIJZzyrjd5ajQ&index=1&feature=plcp

     
  8. Anônimo on 13 de junho de 2012 15:38

    Infelizmente na tv borborema a maioria dos que trabalharam lá foi gente sem visão,sem compromisso. No final dos anos 90, começaram a fazer alguns arquivos até porque precisaram de uma imagem de alguem que tinha morrido e não tinha, lembro que disseram: Vai terminar morrendo o prefeito e nós não temos imagem dele, aí começaram a fazer arquivos.

     
  9. Demilson Serafim on 17 de junho de 2017 09:47

    Minha mãe foi dançarina desse programa, junto com minhas tias. Infelizmente não conseguimos encontrar registros desse período tão bom da nossa história. mas quem tiver algum registro, por favor entre em contato, obrigado!

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br