Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Campina Grande ao longo de sua história teve a honra de ser gravada pelos mais diversos cantores, dos mais diversos locais. Fizemos questão ao longo da história do “Retalhos Históricos de Campina Grande”, de disponibilizar as mais importantes destas gravações.

Podemos dizer que Campina Grande tem dois hinos, o oficial e o “oficioso”, que é a bela canção “Tropeiros da Borborema” eternizada na voz de Luiz Gonzaga.

Contudo, o Hino Oficial de Campina Grande também é muito belo e impactante. Poucos conhecem ou se lembram de sua verdadeira história. O mistério ou esquecimento se acabará a partir deste momento.

Através da Lei Municipal Nº 85 de 05 de outubro de 1973, foi instituído um concurso público, regulamentado pelos Decretos 61/73 e 60/74. Vale salientar, que também ocorreu uma propositura da então vereadora Maria Barbosa para a criação do hino campinense. Coube ao prefeito Evaldo Cruz realizar o concurso.

Prefeito Evaldo Cruz, o "PREFEITO DA CULTURA"

Para a escolha da música foi formada uma Comissão Julgadora. Seriam convidados os seguintes membros: Raimundo Gadelha Fontes (advogado e musicista), Osíria Aguiar Costa (cantora lírica), Marileide Bezerra, Mirian Xavier e Dalvanira Gadelha Fontes (todas professoras e musicistas).

Antônio Guimarães Correia
No dia 05 de outubro de 1974, em evento realizado no auditório do Colégio Imaculada Conceição (Damas), grande massa popular compareceu ao local para assistir as apresentações das 23 músicas concorrentes, que acabou tendo a composição do maestro Antônio Guimarães Correia, como a escolhida.

Antônio Guimarães, que tinha escrito no concurso outras três melodias para escolha, disse o seguinte sobre a música vencedora: "Isso me enche de orgulho, porque eu sou campinense e ficou esta peça artística minha que ficará para sempre".


Alguns meses depois, mais precisamente no dia 14 de junho de 1975 agora no Teatro Municipal Severino Cabral, foi escolhido à letra do hino. Concorreram seis letras, das quais três foram julgadas. A Comissão para a escolha agora seria composta por Stenio Lopes (jornalista), Dalvanira Gadelha Fontes (musicista), José Elias Borges (professor e historiador), Marcos Agra (professor e gramático), Maria do Socorro Aragão (professora), Raimundo Gadelha Fontes (Advogado e Musicista), Robério Maracajá (jornalista) e Sevy Nunes (Jornalista e professora).

O poema escolhido foi o escrito pelo Professor Fernando Silveira.

Fernando Silveira
A Letra:

Venturosa Campina querida.
Oh! Cidade que amo e venero.
O teu povo o progresso expande.
És na terra o bem que mais quero!
O teu céu sempre azul cor de anil.
Tuas serras de verde vestidas,
Salpicadas com o ouro do sol,
Ou com a hóstia dos brancos luares.

Eterno poema,
De amor à beleza.
Oh! Recanto abençoado do Brasil.
Onde o cruzeiro do sul resplandece.
Capital do trabalho e da paz!

Oficina de ilustres varões.
Canaã de leais forasteiros.
És memória de índios valentes,
E singelos e alegres tropeiros.

Tua glória revive, Campina,
Na imagem dos homens audazes.
Aguerridos heróis de legendas,
Que marcaram as tuas fronteiras.

Fernando Silveira nasceu em Fortaleza no Ceará, veio para Campina Grande através de João Calmon, para ser um dos fundadores da Rádio Borborema. Aqui se estabeleceu e entrou para a história da radiofonia campinense. Seu filho Johan C. Silveira, na página de relacionamento “Orkut”, contou um pouco da história de seu pai: "Programas que lançou naquela época: Novelas, o rádio teatro, como se chamava. Outro: A Semana em Revista, retrospectiva dos assuntos interessantes que ocorreram durante a semana que passou, programa, que a meu ver, foi o precursor do hoje programa da Globo: O Globo Repórter. Entre muitos outros: programas de auditório, a semana santa, poesias pelo rádio...e por aí vai. A programação de final de ano: trabalhava-se até de madrugada pra que a programação pudesse ir ao ar a tempo. Morreu pobre, apesar de ser homem de cultura plena: Professor, Advogado, Escritor. No seu enterro haviam poucas pessoas, eu estava lá prá lhe prestar uma última homenagem ao grande homem que foi. Tenho grande orgulho de ser seu filho. E um grande amor pelo que foi de Pai, Amigo e, que deixou muita saudade. Eternamente estará em meu coração...”

Voltando ao hino municipal, ele seria gravado em Recife-PE, após a solenidade de entregas dos certificados aos autores.

Solenidade de entrega dos certificados do hino de Campina Grande para seus autores no Gabinete do Prefeito.
Da esquerda para a direita, Pe. Genival de França (Secretário de Educação e Cultura do Município), Compositor
Antônio Guimarães, Prefeito Evaldo Cruz e Professor Fernando Silveira (Autor do Hino)


A gravação contou com o "Madrigal do Recife" como vocal, com a regência de José da Cunha Beltrão Júnior e com música da Banda Aérea do Recife, que por sua fez foi regida por Moisés da Paixão.

O Madrigal do Recife é reconhecido pela Lei Estadual (PE) nº 7.290 de 12/01/1977 como Instituição de Utilidade Pública, e tornou-se, posteriormente, uma Associação sem fins lucrativos com a finalidade de incentivar e divulgar ao máximo o Canto Coral.

No site “Pontos Históricos” encontramos fotos do “Disco Compacto” oficial, lançado pela Prefeitura Municipal de Campina Grande com as gravações do hino “cantado” e do hino “instrumental”. As reproduções podem ser visualizadas a seguir:

Capa
Concentração de pessoas no Parque Evaldo Cruz, em frente ao MAAC e Estação Velha

O disco de vinil


As fotos do disco foram feitas pelo cineasta e fotógrafo Machado Bittencourt.

As músicas do disco podem ser escutadas a seguir:

Hino cantado:



Hino Instrumental:

Em 2008, a TV Paraíba entrevistou o autor da música Antônio Guimarães, que viria a falecer pouco tempo depois desta entrevista. Cliquem no link abaixo para assistir:


A TV Itararé promoveu com o maestro Gabimar Cavalcante e a cantora Kátia Virginia, uma nova versão para o hino de Campina Grande:


Outra versão do hino, desta vez com a gravação do coral infantil da escola IPEN/Casinha de Brinquedo na supervisão de Alisson Teles Cavalcanti.


Ficamos a disposição de qualquer pessoa que por ventura, queira tecer algum comentário ou adendo sobre nosso hino municipal. Basta entrar em contato conosco através do email: retalhoscg@hotmail.com .

Fontes Utilizadas:

-Anuário de Campina Grande 1982 - Grafset LTDA
-Comunidade de Fernando Silveira na Rede Social “Orkut”
-www.eraldocesar.com.br
-Site Oficial do Madrigal do Recife
-http://historicospontos.blogspot.com.br/
-TV Paraíba
-TV Itararé

15 comentários

  1. Dalva on 13 de março de 2010 11:14

    Oq acho estranho é não se ter muita coisa sobre o autor do hino da rainha da borborema.O PROFESSOR FERNANDO SILVEIRA.Que além de entrar pra história,com a criação do hino da cidade de Campina Grande,além de tantas outras atribuições,foi dono do colégio CARMEM SILVEIRA,nome da sua mãe,muita gente importante estudou neste colégio.
    Queria muito ver uma materia ou pq não dizer uma documentario sobre esse grande homem,que nao era da terra mas a adotou como sua,deixando um legado tão importante que foi o hino oficial da cidade.
    Fica aqui minha sujestão.
    Um abraço ao dono do blog,que por sinal achei exelente,e fiquei fã,vou voltar sempre aqui pra ver as pulblicações,Adoreiiiiiiii esse blog

     
  2. Samara on 19 de março de 2010 19:08

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  3. Samara on 19 de março de 2010 19:08

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  4. Samara on 19 de março de 2010 19:21

    Meu pai, Fernando Silveira, além de grande professor, diretor de várias escolas em Campina Grande, fez grandes coisas pelo teatro e rádio Campinense. Dentre as quais, foi um dos criadores do Festival de Inverno de Campina Grande, feito que poucos políticos, prefeitos e artistas reconhecem e autor de inúmeras radionovelas que percorreram alguns Estados brasileiros.
    Ele deveria ter uma estátua e um museu em sua homenagem. Falo não como filha, mas principalmente como admiradora e professora de artes cênicas e pelos depoimentos que ouvi de várias pessoas de sua época.

     
  5. Emmanuel Sousa on 22 de março de 2010 08:17

    Nós ficaríamos eternamente gratos se os familiares do Prof. Fernando Silveira pudesse nos ceder material biográfico para que pudêssemos produzir um post especialmente sobre ele.
    Blog RHCG (Emmanuel Sousa)

     
  6. Samara Silveira on 23 de março de 2010 21:46

    Olá,Emmanuel agradeço imensamente o seu interesse pelo assunto.Fico muito feliz em poder contribuir com o legado cultural deixado por meu pai.
    Mandarei brevemente material.
    Abraços e boa sorte.
    Samara Silveira.

     
  7. Melania Silveira on 18 de abril de 2011 14:37

    Olá, Emmanuel!Também sou filha do Fernando Silveira e terei muito gosto em colaborar com seu blog para assim enriquer mais e mais a história e nossa querida cidade Campina Grande!Parabéns pela iniciativa e material exposto.

     
  8. Adriano on 2 de junho de 2012 09:39

    Pedimos aos familiares de professor Fernando Silveira que entrem em contato conosco, para que possamos fazer um post em homenagem a ele.

    Adriano (RHCG)

     
  9. Dijaneide Gonçalves on 5 de junho de 2012 09:53

    Me emociono com esse hino, me recordo os tempos que acordava para ir ao colégio com o programa do saudoso Hilton Motta, tocando o Hino de Campina Grande...

     
  10. Edmilson Rodrigues do Ó on 5 de junho de 2012 20:00

    Parabens a todos que contribuiram para que esta página histórica e cultural viesse à tona. Conhecí Fernando Silveira ainda nos velhos tempos da saudosa Radio Borborema. Gostaria de citar, além de tantos outros de sua autoria, um dos seus programas semanais muito marcante: "A Semana em Revista", que era uma retrospectiva dos acontecimentos da semana que passara apresentados por ele próprio em estilo teatral e levava o patrocínio da Serraria Ypiranga. Isso foi nos anos 50 do século passado. Além do mais, o Fernando foi um grande professor, educador, teatrólogo, e tanta grandeza intelectual que não é possivel descrevê-la num espaço limitado. Tive o privilégio de ser seu amigo e contemporâneo. Mais uma vez, parabéns a ilustre equipe que dirige esse blog.

     
  11. Paulo Gomes on 7 de junho de 2012 12:06

    Este ilustre Campinense - por opção - deveria ser homenageado pela população desta cidade, de forma sincera e verdadeira. É uma pena ver a que ponto relegamos aqueles que são os verdadeiros benfeitores desta terra. Parabéns pela postagem.

     
  12. Anônimo on 9 de junho de 2012 16:52

    Morei em Campina de 1986 a 1998. Lamentavelmente só tomei conhecimento deste hino há poucos anos. Seria importante que o governo municipal divulgasse o hino, principalmente nas escolas.

     
  13. Anônimo on 9 de junho de 2012 20:27

    Sim,o hino é algo belíssimo.Um poema emocionante e inteligente.
    Sinto muito as pessoas mais jovens não reconhecerem Fernando Silveira como um grande inteleactual que contribuiu com a cultura,arte,e principalmnete com a educação em Campina.

     
  14. Diniz on 10 de junho de 2012 10:36

    Belissima homenagem.

     
  15. José Roberto on 7 de abril de 2013 19:44

    Estudei no Ginásio Carmen Silveiras nos anos de 1968 e 1969 hoje resido na Bahia mas nunca esqueci destes tempos e principalmente do Professor Fernando Silveira Grande homem, que muito contribuiu para o engrandecimento de minha querida Campina Grande. Parabens ao blogueiro por esta iniciativa.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br