Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?


Desembarque de JK em Campina Grande - 1958

JK visitou Campina pela segunda vez em 1958. O comércio havia fechado suas portas. O avião que conduziu o presidente pousou em solo campinense às 16 horas do dia 07 de novembro daquele ano. Milhares de pessoas se concentraram nos arredores do aeroporto “João Suassuna” para ver o governante que veio a este Município em companhia de sua esposa Sara, suas duas filhas, dos Ministros da Viação e do Trabalho Lúcio Meira e Fernando Nóbrega, do General Nelson de Melo (chefe da casa civil) e da imprensa falada e escrita do Rio de Janeiro, para inauguras duas obras de sua gestão: o trecho pavimentado que ligava o aeródromo à Cidade e a adutora de Boqueirão.
Aeroporto João Suassuna - Chegada de JK - 1958
No desembarque, recebeu os cumprimentos do Governador Pedro Gondim, do Prefeito Elpídio de Almeida - que lhe ofertou as chaves da cidade – e do Presidente da Câmara, Vereador José Gaudêncio de Brito, que lhe entregou o título de cidadão campinense.
Em seguida, o presidente inaugurou solenemente a pavimentação da rodovia, ladeado pelo governador e os Senadores Ruy Carneiro e Argemiro de Figueiredo.
Os serviços de terraplanagem haviam sido executados pelas construtoras Lavor e Brunet, que concluíram em 120 dias o trecho de 5.400 metros, apesar das intensas chuvas dos meses de junho a setembro. Foram utilizados dos tipos de revestimento fabricados pela refinaria Ypiranga do Rio Grande do Sul. O custo total da obra estava orçado em Cr$ 13.442,00.
No trajeto em carro aberto até a Praça da Bandeira, o chefe da nação foi ovacionado pelo povo campinense, em reconhecimento à obra que viria sanar um antigo problema municipal com o fornecimento de 20 milhões de litros d’água.
Após inaugurado o serviço de adutora, foi descerrada na praça a estátua de JK, “monumento que consubstancia o agradecimento dos campinenses ao seu benfeitor”, que fica defronte aos Correios e Telégrafos.
Segui-se uma demorada girândola de fogos, usando da palavra naquele momento, os Srs. Antônio Vital do Rego, Newton Rique, Lopes de Andrade, e o sindicalista Antonio Mangabeira.
Falando à multidão, o presidente visivelmente emocionado, relembrou as suas primeiras impressões quando veio a esta cidade, ainda na campanha eleitoral de 56, destacando os compromissos assumidos, dentre eles o da iluminação de Paulo Afonso, promessa que já havia sido cumprida.
Nas suas passagens por Campina, JK hospedara-se na casa do amigo Alvino de Farias Pimentel.
Referências:
- A UNIÃO, Jornal. Edição de 06 de novembro. João Pessoa/PB: 1958.
- A UNIÃO, Jornal. Edição de 08 de novembro. João Pessoa/PB: 1958.
- DIÁRIO DA BORBOREMA, Edição de 09 de novembro. Campina Grande/PB: 1958

Blog RHCG:
 
O jornalista Leonardo Alves, à época repórter da TV Paraíba, realizou a matéria que reproduzimos abaixo, tratando da visita do ex-presidente à Rainha da Borborema, e sua hospedagem na casa do 'Cumpadi' Alvino. 

2 comentários

  1. Edmilson Rodrigues do Ó on 6 de novembro de 2012 09:15

    Como já tive oportunidade de abordar esse assunto em oportunidades passadas, eu fui testemunha ocular de todos estes fatos, porquanto naquela oportunidade o Sr. Alvino de Farias Pimentel fazia parte da comunidade algodoeira que marcou época em Campina Grande, além de ter sido designado concescionário para todo Estado da Paraiba da recém instalada no Brasil Mercedes-Benz do Brasil S. A. cuja nova razão social era Alvino Pimentel Comércio e Representações S. A., fato ocorrido em 1956. Eu fiz parte do quadro funcional da nova emprêsa durante os anos de 1957 a 1963. Portanto, repito, conviví com todos os fatos relacionados com a adutora de Boqueirão, as visitas do Presidente JK e da edificação do Monumento JK na Praça da Bandeira.
    Uma curiosidade: enquanto estava sendo construido o monumento, a estátua do presidente ficou exposta a visitação pública no saguão da emprêsa do Sr. Alvino localizado nas Boninas ou mais precisamente na Rua Félix Araújo - 216.

     
  2. Anônimo on 7 de novembro de 2012 09:46

    O Ministro do Trabalho Fernando Nóbrega era paraibano "da gema",irmão de Humberto Nóbrega,tio de José Carlos Arcoverde Nóbrega.Na foto, o antigo muro do João Suassuna e ,ao fundo,casa grande da fazenda de Henrique Alexandrino.Grande momento para nossa Cidade,lembremos o Homem que trouxe luz e água,JK.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br