Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Carregando...
Por Edmilson Rodrigues do Ó


“O ‘Gigantão’ da Prata”

Naquele sábado, 31 de janeiro de 1953, foi oficialmente inaugurado o COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPINA GRANDE (CECG), intimamente chamado o “Gigantão” do bairro da Prata, o qual viria a ser física e qualitativamente o maior estabelecimento de ensino médio do Estado da Paraíba. As solenidades foram presididas pelo Exmo. Sr. Governador do Estado Dr. José Américo de Almeida, o grande patrono, fazendo-se presentes lideranças de todas as camadas sociais da cidade e do Estado e de um grande público que prestigiou o memorável evento. Hoje, decorridos quase 60 anos, o Colégio Estadual da Prata já se integra como um símbolo nos anais da história de Campina Grande.


O Colegio Estadual imediatamente após o término da construção, ainda no periodo pré-inaugural e,
 na sua mais absoluta originalidade, em janeiro de 1953.

 Em primeiro plano, ao centro, o Governador José Américo de Almeida ao
lado do Professor Milton Ferreira Paiva, primeiro diretor do colégio.

 Mais um flash das solenidades

 Flagrante do ato litúrgico e da bênção do grande colégio


O Professor Milton Ferreira Paiva, primeiro diretor, discursa na ocasião, tendo à mesa, dentre outros, o
Governador José Américo, o então Prefeito Plínio Lemos e o Deputado Severino Bezerra Cabral.

O ponto culminante das solenidades;  o Governador José Américo de Almeida
corta a fita simbólica dando a obra como inaugurada.

 O Governador José Américo cumprimentando os presentes

 O Governador José Américo de Almeida proferindo o seu discurso atinente a solenidade de inauguração

 O presidente do Diretório Estudantil, Juarez Farias, em discurso de agradecimento ao governador pelo empreendimento

Carteira de Estudante do aluno Edmilson Rodrigues do Ó integrante da turma pioneira do 1° Ano Ginasial de 1953

 Fac-simile da Ata da Primeira Prova parcial realizada em junho de 1953, na qual o aluno Edmilson Rodrigues do Ó
teve suas notas omitidas em virtude de ter  o mesmo sido remanejado, dias antes, da turma A para a turma B,
em cuja Ata as notas foram regularmente publicadas.
  
Estadual da Prata em 1957

 Foto feita pelo ex-aluno Edmilson Rodrigues do Ó, em 1968

11 comentários

  1. rcbmello on 26 de novembro de 2009 20:54

    Vê esse monumental colégio, me traz uma overdose de saudade. Tempo de gandes sonhos; da irresponsabilidade responsável dos jovens daquela época. Bons tempos aqueles...
    Roberto Césares, aluno da década de 60.

     
  2. Jobedis Magno de Brito Neves on 27 de setembro de 2010 21:55

    Como é nostálgico revisitar não só na memória, mas também nas fotos e os arquivos um pedaço da gente. O Colégio Estadual da Prata e seus colaboradores (desde serventes aos professores) foram, sem dúvida, parte importante na minha formação, não só profissional, mas também de caráter. Colégio que me ensinou não só as matérias dos colégios convencionais, mas também as que me ensinaram a viver, a passar os obstáculos, a aprender que um colégio como o Gigantão não foi um grande aprendizado para o vestibular, mas sim um aprendizado para a sobrevivência, para a vida toda. Nunca esquecerei do que passei: as olimpíadas estudantis, as aulas dos profs. Suassuna, D, Doziart, Raimundo Gadelha, Catatau, e de outros igualmente maravilhosos... Nossas paqueras, festinhas, aulão para o vestibular no auditório, etc, etc, etc. Foi sem dúvida uma época inesquecível e que com certeza contribuiu muito para a pessoa que hoje sou. Agradeço ao Colégio e sua equipe pela excelente formação do cidadão em todos os aspectos da vida.

     
  3. Anônimo on 15 de abril de 2012 13:23

    Estudei na década de 80... saudades!!!

     
  4. Edmilson Rodrigues do Ó on 11 de junho de 2013 09:24

    Meus diletos amigos;

    Parabéns pela postagem...!
    A relevância que o famoso "Gigantão" representa para os anais da história de Campina Grande, merece, de fato, a sua reedição.
    Mais uma vez, me permitam, meus parabens aos briosos administradores do RHCG.

     
  5. walmir chaves on 11 de junho de 2013 12:21

    Parabens pelo excelênte relato caro amigo Edmilson! Me surpreendeu muito ver meu colega Antonio Alvaro nessa Ata da Prova, pois lhe conheci no Alfredo Dantas, repetindo o 1º ano em 1955!!! rsrs

     
  6. maniaco_da_camera on 11 de junho de 2013 19:39

    PAREM PAREM ESSA MAQUINA DO TEMPO QUE EU QUERO... DESCER? NÃO DESCER NÃO É SÓ P TOMAR UMA AGUINHA E VOLTAR A VIAJAR PELO PRETÉRITO CAMPINENSE ATRAVÉS DA MAQUINA "CGRETALHOS"

     
  7. RHCG on 12 de junho de 2013 10:36

    Nós que agradecemos sr. Edmilson

     
  8. Anônimo on 16 de junho de 2013 08:13

    Quem abençoou o colegio foi Padre Mariano (Severino Mariano de Aguiar) que posteriormente foi Bispo da Diocese de Pesqueira, Dom Aguiar.

    Alberto Cavalcanti

     
  9. Anônimo on 18 de junho de 2013 20:05

    Teria que ser um manifesto para para expressar os sentimentos que todos nós,sucessivas gerações de estudantes,guardamos do Gigantão da Prata.Compartilho as belas palavras de Jóbedis.Parabéns

    Braulio José Tavares
    Ex-Aluno

     
  10. Anônimo on 18 de junho de 2013 20:08

    Não deve ter sido fácil discursar perante José Américo de Almeida.


    Braulio José Tavares

     
  11. Anônimo on 20 de junho de 2013 11:08

    Bela recordação, pena que esqueceram de citar a fonte do material exposto: www.colegiodaprata.cjp.com.br.
    Visitem o original,mantido peloprofessor Fernando(Badu).Lá tem muito mais material.

     


 
BlogBlogs.Com.Br