Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

As Eleições de 1982 ficariam marcadas na nossa história política, em virtude de ser o primeiro passo a uma redemocratização de fato do país. Mesmo assim, algumas regras, hoje absurdas, foram implantadas, como por exemplo, a proibição de coligações; os eleitores deveriam votar em candidatos do mesmo partido para todos os cargos; só era válido voto no candidato; não se poderia votar só no Partido, entre outras estranhas modalidades.

A ARENA, o partido da Ditadura Militar, passou a ser “PDS – Partido Democrático Social”, o MDB seria “PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro”. Seriam criados alguns partidos, os quais se destacavam o “PT – Partido dos Trabalhadores”, o “PDT – Partido Democrático Trabalhista” e o “PTB – Partido Trabalhista Brasileiro”.

No começo de 1982, o clima em Campina Grande era de certo acirramento político. Enivaldo Ribeiro ainda era o prefeito, vindo de uma boa administração, mesmo sendo alvo de algumas críticas devido principalmente ao lixo, que estava se acumulando na cidade. Todavia, sua administração em geral foi boa, muito em virtude dos financiamentos federais, conquistados pela habilidade política de Enivaldo. Com esse poder de fogo, tentaria eleger seu sucessor, o então reitor da Furne (UEPB), Vital do Rego.


Como oposição, o nome de um ex-prefeito da cidade, Ronaldo Cunha Lima, que mesmo a contragosto (dizem que foi Raymundo Ásfora quem convenceu Ronaldo a ser candidato), aceitou ser o pretendente principal do PMDB. Era a tentativa de Cunha Lima de voltar a ganhar uma disputa em Campina Grande, 14 anos após sua cassação. “Não há honra maior do que ser convocado pelo seu povo”, disse Ronaldo à época.

Ronaldo Cunha Lima

A priori, os candidatos do PMDB seriam Ronaldo e José Luiz Júnior. Porém, após convenção realizada no auditório do Convento de São Francisco, como vice foi escolhido o nome do bancário Antônio Carvalho.


Já no PDS, nomes como Francisco Buega Gadelha e o do ex-prefeito Williams Arruda chegaram a ser cogitados, porém o consenso recaiu no nome de Vital do Rego, que teria como vice José Buarque de Gusmão Neto. Ao Diário da Borborema, Vital relatou o seguinte: “Minha candidatura se deve ao apoio que o Governo do Estado dera à juventude de Campina através da FURNE”.


O interessante ao se pesquisar a história dessas eleições de 1982, foi o uso pelos candidatos da TV Borborema. Foi lá, que tanto Vital do Rego, como Ronaldo Cunha Lima, se declararam candidatos. Pena, que tais registros históricos não existam mais.

Ainda eram candidatos nessa eleição de 82, Moisés Lira Braga, Edgar Afonso Malagodi, Geraldo de Magela Barros, Manoel Joaquim Barbosa e Hermano Nepomuceno, todos ilustres coadjuvantes.

As eleições que se realizaram em 15 de novembro de 1982, foi umas das mais movimentadas de nossa história política. Vários comícios foram realizados. Um desses em especial, pelo lado de Ronaldo Cunha Lima, felizmente temos em nosso arquivo. Trata-se do discurso proferido pelo então candidato no comício de encerramento da campanha, áudio do acervo de José Alves de Sousa, ex-vereador de nossa cidade eleito pelo PMDB nessa eleição, com 1.282 sufrágios. A seguir, um trecho em áudio cedido com exclusividade para esse blog:



No dia 16 de novembro de 1982, o Diário da Borborema publicou o seguinte: “O clima foi de intensa expectativa por todo o dia de ontem em Campina Grande. Os eleitores de Ronaldo Cunha Lima, do PMDB, e Vital do Rego, do PDS, trocaram empurrões e insultos em quase todas as seções, tendo-se registrado casos mais sérios no Posto de Saúde, no Grupo Escolar Murilo Braga, na Liberdade, no Colégio Estadual da Prata e na Escola Assis Chateaubriand, no Bairro de José Pinheiro. Os dois principais candidatos à Prefeitura de Campina Grande, Vital e Ronaldo, comportaram-se de maneira diversa ontem. Ronaldo passou o dia inteiro percorrendo as seções, enquanto Vital passou várias horas no gabinete do prefeito Enivaldo Ribeiro. Ronaldo votou às 10h45min, na 1ª seção que funcionou no Colégio Pio XI, mas Vital deixou de votar. Ele acertou com os repórteres que votaria entre 16 e 17 horas no Colégio Alfredo Dantas, mas houve um incidente com sua irmã, srª. Bernadete Mesquita Vital do Rego, na Faculdade de Administração, e ele não depositou seu voto na urna. Segundo seus assessores, a irmã do candidato foi vítima de uma violenta agressão, partida de partidários do PMDB quando pedia votos para Vital”.

As apurações foram iniciadas no dia 16 de novembro, no Ginásio César Ribeiro, de propriedade do Campinense Clube. Desde o início das apurações, a tendência pró-Ronaldo se confirmou e ao final, quatorze anos depois, Ronaldo Cunha Lima voltava a ser prefeito da cidade.

Resultado das eleições para Prefeito:

Ronaldo Cunha Lima – PMDB – 40.679 votos
Antônio Vital do Rego – PDS – 28.625 votos
Moisés Lira Braga – PDS – 2.067 votos
Edgar Afonso Malagodi – PT – 571 votos
Geraldo de Magela Barros – PDS – 191 votos
Manoel Joaquim Barbosa – PMDB – 65 voltas
Hermano Nepomuceno – PMDB - 12 votos

Finalizando nossa volta a 1982, um trecho do jingle utilizado por Ronaldo Cunha Lima na sua histórica vitória (Acervo de J. Alves):



Veja Também - Fotos da Campanha de Ronaldo:

Recebemos as fotos abaixo do amigo do blog "Tataguaçu" José Ezequiel Barbosa Lopes. Os registros históricos, que mostram parte da campanha de Ronaldo Cunha Lima para prefeito nos anos 80 do século passado, foram frutos de uma pesquisa desenvolvida por José Marciano Monteiro.




Fontes Utilizadas:

-Diário da Borborema (Coleção)
-Anuário de Campina Grande-1982-Grafset LTDA
-Acervo Particular do ex-vereador José Alves de Sousa (J.Alves)
-Site do TRE
-Acervo de José Marciano Monteiro, cedido ao blog por José Ezequiel Barbosa Lopes

8 comentários

  1. Anônimo on 28 de janeiro de 2010 09:14

    Lembro de uma reportagem dos anos 80, do Jornal Nacional, em que chamaram Ronaldo de o Prefeito Poeta e falaram muito bem de sua administração.

     
  2. felipe on 5 de maio de 2010 23:54

    Caros prestigiadores da História Campinense;
    Apreciando com cuidado a 6ª FOTO desta publicação, creio que esta campanha foi a de 1994, já que o candidato a Governador era Antônio Mariz, e Ronaldo Cunha Lima candidato a senador da república.
    Se estiver errado peço perdão.

     
  3. Emmanuel Sousa on 6 de maio de 2010 08:27

    Amigo Felipe...
    1982 Foram eleições gerais. Desde Governador, até vereador! Nunca mais houve essa condição nas campanhas seguintes. Neste ano, Mariz foi candidato à governador, perdendo para Wilson Braga. Ronaldo foi eleito prefeito de Campina Grande. Em 1994 Antonio Mariz voltaria a encabeçar a chapa, sendo eleito Governador, mais tarde falecendo em pleno gozo de mandato.
    Agradecemos a participação!
    Blog RHCG

     
  4. felipe on 17 de maio de 2010 02:52

    Interessante.. Não sabia que Mariz tinha sido candidato antes.

    Obrigado,
    Felipe

     
  5. Ronnie on 25 de outubro de 2010 20:17

    Olá!

    Primeiramente, gostaria de dar os parabéns aos autores e mantenedores do blog. É um EXCELENTE acervo de informações e imagens, além de um esforço MONSTRUOSO de pesquisa e junção de informações. Todos os parabéns do mundo!

    Em segundo lugar, seria simplesmente PERFEITO que vocês conseguissem o tema completo da campanha de Ronaldo em 82. Nasci apenas em 91, mas sempre ouvi relatos dos meus pais sobre o quanto foi acirrada a campanha eleitoral desse longínquo ano, bem como histórias sobre essa música. Além do mais, é o jingle de campanha mais belo, original e marcante que conheço. Eu sei que é praticamente impossível de conseguir, mas se porventura um dia desenterrarem esse tesouro, compartilhem no blog para deleite total dos leitores.

    Grande abraço!

     
  6. Françoise on 16 de maio de 2011 23:28

    muito bom recorda q pena mais eu ainda ñ era nascida.

     
  7. Blog do Gari Martins da Cachoeira on 18 de março de 2012 10:45

    Saudade desse tempo! Eu tinha 10 anos e saia acompanhando os comícios só pra ouvir o poeta falar e declamar suas poesias.

     
  8. Anônimo on 3 de fevereiro de 2015 14:59

    Jingles é comigo adoro todos. mais eu queria os cantados por Elino Julião, na campanha de Vital do Rego ZÈ LIMA NITERÒI RJ

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br