Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Micarande 2000
O post de hoje atende ao pedido de nossa colaboradora Ana Santino, que gostaria de relembrar a Micarande de 2000, que foi realizada no período de 04 a 07 de maio daquele ano.

A Micareta campinense não foi realizada no tradicional mês de abril, devido a um erro da organização do evento, que marcou a festa para um período que conflitava com evento religioso. A mudança da data então, fez com que alguns artistas não pudessem comparecer a Campina Grande.

É de se lembrar, que o carnaval fora de época  de Campina Grande, atingiu seu auge no ano anterior, por isso a festa de 2000 foi muito aguardada. Observem o que publicou o Jornal do Comércio sobre o evento em 13 de abril de 2000:

Tem Carnaval fora de época na Paraíba

Campina Grande (PB) está em festa. Os preparativos para a 11ª edição do Micarande, o Carnaval fora de época da cidade, que acontece de 4 a 7 de maio, já prevê o clima de animação que pretende atrair turistas de todos os pontos do Brasil. Na Micarande 2000, a palavra da vez é diversidade. A programação do evento reúne os mais diversos ritmos, apresentando desde a saudosa marchinha de carnaval ao samba das escolas cariocas, passando pelo frevo, maracatu, axé music, bumba meu boi e, até, forró.

Atrás dos trios elétricos devem passar, pular e dançar mais de 200 mil pessoas. Embalados, principalmente, pela música baiana, os foliões vão contar com toda uma infra-estrutura de hotelaria, alimentação e segurança. Ao todo, são 14 blocos, incluindo os tradicionais trios de estrelas baianas, as agremiações de frevo, os grupos infantis, as troças de bois e as escolas de samba.

A festa, porém, não desperta apenas alegrias e romances. Rende, também, muito dinheiro, movimentando diversos setores produtivos e aquecendo a economia local com a geração de empregos, mesmo temporários.

Para se ter uma idéia, estima-se uma movimentação financeira de R$ 2 milhões com a realização do evento. Os blocos se transformam em empresas sólidas, a rede hoteleira amplia-se a cada ano, e a Micarande figura entre os fatores que fazem de Campina Grande uma das cidades mais desenvolvidas do interior nordestino.

A maior participação popular se verifica no Parque do Povo, uma arena de 42 mil metros quadrados, onde são realizados diariamente várias shows, com a participação de artistas baianos, cada um com 30 minutos de apresentação, em média. Para os que não abrem mão de conforto e segurança, já estão sendo comercializados camarotes e arquibancadas.

Entre as atrações, devem passar pelas ruas de Campina os grupos Chiclete com Banana, Pimenta Nativa, Cheiro de Amor, Banda Beijo, Asa de Águia, Araketu, Netinho e Ricardo Chaves. Os blocos de frevo se concentram nos dois primeiros dias do evento, promovendo atividades paralelas como a Serenata do Pierrô e o Baile da Saudade, do Bloco da Saudade, além das apresentações do Zé Pereira e do Desmaia da Alegria. Os blocos infantis desfilam no domingo que antecede a folia, dia 30.

FORRÓ PÉ-DE-SERRA – Após percorrerem os cinco quilômetros que compõem o corredor da folia, os foliões encontram no largo do Museu de Artes o autêntico forró pé-de-serra, antecipando o clima de festa junina.

Uma outra prévia junina acontece em pleno domingo de Micarande, dia 07 de maio, quando uma das mais populares casas de forró de Campina Grande, o Vale Jatobá, abre suas portas aos foliões forrozeiros. 

A festa também atraía as transmissões ao vivo. Tanto a TV Correio, bem como a TV Borborema transmitiam os dias da festa. A TV Paraíba por sua vez, realizava reportagens especiais e "flashes" do evento. 

A festa acabou, teve sua época sem dúvida chegando a rivalizar em importância com o "Maior São João do Mundo", porém, o evento era modismo como  foi em sua época, os "assustados", a "discoteca" etc, ou seja, não tinha "RAÍZES" como o Maior São do Mundo, por exemplo. O evento Micarande não conseguiu se renovar e foi perdendo sua importância econômica para a cidade. Mesmo assim, as lembranças ficaram e disponibilizamos a seguir, a transmissão da TV Correio do domingo, com os blocos que saíram naquele dia de maio de 2000. Cliquem abaixo:
Parte 1:


Parte 2:


Parte 3:

 

Parte 4:


Fontes Utilizadas:

http://www.vibeflog.com/dirceumarconi
TV Correio
Jornal do Comércio (Acervo)

4 comentários

  1. sandro on 9 de outubro de 2011 03:01

    Graças a DEUS a micarande acabou, ALELUIA.

     
  2. Anônimo on 10 de outubro de 2011 09:46

    A Micarande durante um certo período foi interessante pra cidade, quando os empresários campinenses faziam a festa. A partir do momento que as bandas baianas cresceram os olhos, querendo comandar tudo, da venda do abadá aos shows, eles próprios acabaram com as micaretas.

     
  3. Anônimo on 16 de outubro de 2011 19:09

    Tambem acho. Como toda cidade, especialmente uma cidade universitária, a diversidade de festas tambem movimentam o turismo e cada um participa do que gostar. Tão mais exagerado é o São João, que na minha opinião já foi muito melhor para hoje ainda ter uma duração de 30 noites!! Agora ficar dando "aleluia" porque uma ou outra coisa acabou..acho tolice. Cada um frequenta o que gosta. Pura opinião de quem não tem coisa mais pertinente para comentar.

     
  4. SANDRO on 7 de novembro de 2011 23:38

    Eu brinuei quase todas as micaretas de campina, nos blocos, na pipoca até nas previas,gastei dinheiro,bebi,fumei,dançei,namorei,curti mas também fui assaltado e alguns amigos também,além de algumas brigas que tive que apartar ou tive que presenciar, porém o pior foi ver gente morrer na micarande entre elas um colega que foi morto por uns baianos que vinham assaltar nessa festa. Por isso repito pertinentemente Graças a DEUS que a micarande acabouuuu! ALELUIA!

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br