Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Por Rau Ferreira (http://memoep.tk)

Consta da “Corografia Brazilica”, composta e dedicada à sua Majestade com licença e privilégio real, a relação histórico-geográfica do Reino do Brasil.

A Província da Parahyba, nos tempos do Império, pertencia a Capitania de Itamaracá e possuía as seguintes vilas-cidades: na parte Oriental, Parahyba ou Filipéia (nossa capital); Pilar, Alhandra, Vila-real, Vila do Conde, S. Miguel, Montenor e Vila da Rainha, também chamada de “Nova”. Pelo Ocidente havia Pombal e a Vilanova de Souza.

O livro fora escrito “por hum presbítero secular do gram priorado do Crato” e registra, em seu Tomo II às fls. 205, a Vila de Campina Grande (p. 205), cuja descrição fizemos questão de transcrever usando os termos e vocábulos de sua época, por razões históricas:

 “Villa da Rainha, vulgo Campina-Grande, por estar solitária numa dilatada planície, obra de trinta e cinco léguas ao Poente da Capital, não passa ainda de pequena; porém mui freqüentada, em razão de lhe passar por dentro a estrada real do sertão. Paupinna era o nome, que a designava antes de ser Villa. Seus habitantes bebem d’uma lagoa contigua, a qual faltando d’agua nos annos de grande sêca, obrigaos a hir buscalla d’alli duas léguas. A sua Matriz he dedicada a Nossa Senhora da Conceição” (p. 205).

Segundo consta, o compêndio teria sido escrito em 1817 (M. DCCC. XVII) sendo atribuída a Manuel Ayres de Casal (Padre Ayres de Casal).

Esta é, talvez, a mais antiga referência que se faz da cidade de Campina Grande, considerando-se que as anotações de Irineu Jóffily, que deram origem ao seu festejado livro “Notas sobre a Parahyba”, teriam sido iniciadas em 1824 e somente ganharam forma em 1892.

Fonte:
- CASAL, Manuel Ayres de. Corografia Brazílica, ou Relação Histórico-geográfica do Reino do Brasil. Tomo II. Rio de Janeiro/RJ. Imprensa Régia: 1817;
- JOFFILY, Irineu. Notas sobre a Parahyba: fac-símile da primeira edição publicada no Rio de Janeiro, em 1892, com prefácio de Capistrano de Abreu, Volumes 1-2. Ed. Thesaurus Editora: 1977;
- Wikipédia: Manuel Aires de Casal, disponível em: http://pt.wikipedia.org;

1 Comment

  1. Anônimo on 27 de junho de 2013 23:53

    O amigo Rau se enganou dizendo que a referência de Aires de casal de 1817 seria a mais antiga a respeito de Campina Grande. Na verdade a mais antiga referência de Campina Grande que se tem notícia é a carta do capitão-mor da Parahyba, Manoel Soares da Albergaria, dirigida ao rei de Portugal em 14 de Maio deste de 1699, pois a mesma ainda existe no arquivo da Torre do Tombo de Lisboa.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br