Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Reportagem publicada no Jornal da Paraíba (Cliquem para ampliar):


Vídeo da TV Record sobre "Pedro Cancha":





Vídeo da TV Itararé sobre Biu do Violão:

3 comentários

  1. Jobedis Magno de Brito Neves on 28 de setembro de 2010 11:18

    Estes personagens marcaram a paisagem e os acontecimentos de Campina Grande. Eram pessoas engraçadas, extrovertidas, algumas brincalhonas, outras bravas, temperamentais, mas fundamentalmente irreverentes, que habitavam e circulavam pelas ruas centrais da cidade, se incorporando ao cotidiano, trazendo-nos algum tipo de informação, alegria e de certa forma, amenizando as durezas e as amarguras de nossas vidas. Essas irreverentes criaturas e suas passagens ficaram e ainda ficam em nossas recordações e em nossas memórias. Conhecemos em Campina outros personagens muitos engraçados, cômicos e irreverentes que daria matérias para outras reportagens.

     
  2. gustavo ribeiro on 29 de setembro de 2010 07:36

    Na década de 70 existia CARBORÊTO. Carborêto andava sempre de paletó e discursava na Maciel Pinheiro. Era correligionário da família Gaudêncio. Existia ainda na mesma década, JAPONÃ e PONTARIA. Ambos "radicados" no estacionamento por trás do Capitólio. Nos anos 80, apareceu ZÉ BONITINHO, misto de corredor e cantor de uma música só, a poliglota "etsa rare".
    Campina e suas figuras.

     
  3. gustavo ribeiro on 29 de setembro de 2010 17:42

    Lembrei de uma frase muito repetida por CARBORÊTO: "Prá ser doido em Campina, tem que ter muito juízo!"

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br