Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?


Guilherme Jorge Dantas, o "Jorgito DJ", marcou seu nome na radiofonia de Campina Grande durante os anos 80 e 90. Na Rádio Campina Grande FM, apresentou programas inesquecíveis e mesmo radicado hoje em João Pessoa, não esquece a cidade natal e colocou-se a disposição do “Retalhos Históricos de Campina Grande” para responder a série de perguntas abaixo, relembrando uma época áurea do rádio FM da cidade.

Guilherme Jorge Dantas "JORGITO"

BLOG RHCG: Primeiramente queremos que você se descreva para os leitores do Blog RHCG:

JORGITO: Nasci em agosto de 1969, em Campina Grande, filho de José Carneiro de Farias (administrador de empresas) e Violêta de Lourdes Castro Dantas de Farias (professora de língua estrangeira).  Sou formado em Comunicação Social e estou concluindo o curso de Direito.

Fui locutor da Campina Grande FM por 10 anos. Também atuei na Jovem Pan FM e na Arapuan FM, ambas em João Pessoa, além da Top FM em Recife - PE.

BLOG RHCG: Como iniciou sua carreira no rádio de Campina Grande? No início de sua carreira inspirou-se em algum radialista?

JORGITO: Sempre fui apaixonado por música. Meus pais compravam muitos discos e era hábito ouvir em casa artistas e estilos tão diversos como Luiz Gonzaga, Nat King Cole, Ray Connif, Sivuca e Roberto Carlos. Reuniões de amigos, festas, encontros familiares em minha casa sempre eram motivo para ouvir boa música.

O “vírus do rádio” já estava em meu sangue. Meu avô, Sebastião Dantas Bezerra, foi patrocinador cativo da Rádio Borborema. Também nesta emissora, minha mãe participou como cantora em programas de auditório apresentados por Hilton Motta. Ainda garoto, eu brincava de imitar os locutores usando um lápis como microfone e tocando os discos dos meus pais numa “radiola” Philips.

Minha estréia no rádio se deu em meados dos anos 80, através do convite de uma agência de publicidade. Eles adquiriram um espaço na programação da Campina Grande FM e eu fui convidado para apresentar o programa Rádio Pirata, que ia ao ar todos os sábados à tarde. Aceitei, sem avisar a meus pais, que temiam que essa minha paixão pelo rádio atrapalhasse meus estudos. Depois que ouviram minha voz no ar, acabaram aceitando numa boa, desde que meu boletim na escola não tivesse nenhuma nota vermelha! Depois de 3 anos no ar, o programa acabou e eu fui contratado pela emissora.

Na época, minha inspiração eram os locutores do sul do país, cuja locução tinha uma pegada mais moderna, mais acelerada ou, como se dizia, mais alto astral.

Jorgito na Campina FM

BLOG RHCG: Já que você citou o programa “Rádio Pirata”, nosso colaborador do RHCG, Manoel Leite, que é colecionador musical, mandou uma pergunta sobre este programa, questionando se você guardou alguma edição do mesmo e também sobre seu hobby de colecionador de Cds?

JORGITO: Tenho algumas edições do Rádio Pirata gravadas em fita K-7. Nunca voltei a ouvir estes programas e não sei como está a qualidade destas gravações. A digitalização desse material será um passatempo para quando estiver aposentado (risos).

Quanto à coleção de CDs, resolvi deixar de lado por uma questão prática: falta de espaço. Quando os discos começaram a dividir espaço com meus livros jurídicos, precisei parar a coleção senão ia acabar fatalmente morando em cima de uma pilha de CDs. Também colecionei muitos vinis que até hoje estão aí em Campina, na casa de meus pais.

PERGUNTA: Os anos 70/80 foram marcantes para a radiofonia campinense pelo advento das FMs, com uma linguagem mais jovial. Quais os programas que você apresentou na Rádio Campina FM e se era muito assediado por fãs à época?

JORGITO: Apresentei quase todos os programas da Campina FM:  “A Música do Ouvinte”, “93 By Night”, “O Fino da MPB”, “Campeões do Ouvinte”, “Radiação 93”, “Alegria Geral” e tantos outros. O que mais me marcou foi realmente o “Rádio Pirata”. Eu tinha apenas 15 anos e o programa era bem inovador, o primeiro a trazer para o rádio campinense uma linguagem mais jovem, uma locução mais rápida e músicas que não tocavam nas programações tradicionais. O rock nacional começava a invadir as emissoras de FM e nós trouxemos, em primeira mão para os ouvintes do “Rádio Pirata”, bandas então desconhecidas do grande público como: Titãs, Legião Urbana, Capital Inicial, etc. Recebíamos centenas de cartas por semana, era muito gratificante.

Promoção da Rádio Campina FM com Jorgito e a Banda Ultraje a Rigor

Quanto ao assédio, era normal a todos os locutores daquele tempo. Algumas ouvintes tinham uma curiosidade natural em nos conhecer. Sempre encarei como algo que fazia parte da diversão.

Jorgito em Programa da Rádio Campina FM

BLOG RHCG: Você trabalhou na emissora de um dos pioneiros da Rádio de Campina Grande, Hilton Motta. O que você pode nos contar sobre esta lenda de nossa imprensa? É verdade que ele era muito exigente?

Hilton Motta
JORGITO: Foi o melhor e mais preparado professor que já tive nessa área. Hílton Motta tinha muito amor pelo rádio e, notadamente, pela Campina Grande FM. Um sentimento tão forte e verdadeiro que não dá pra descrever em palavras. Você tinha que ouvi-lo falando. Seus olhos brilhavam, ele se empolgava e invariavelmente cativava o interlocutor discorrendo sobre suas experiências e contando “causos”, uma figura! Foi com ele que aprendi sobre o poder único do rádio em estimular a imaginação das pessoas.

Outra característica marcante de Hilton Motta era o respeito que ele tinha pelos ouvintes. Havia um esmero, um cuidado, uma preocupação constante com o nível do que era levado ao ar. Era isso que fazia a sua fama de exigente. Tínhamos que nos expressar de forma impecável, observando o emprego correto do português, falando apenas o necessário. Não se admitia que o locutor falasse, por exemplo, um “palavrão” nos microfones, coisa até corriqueira em alguns programas que existem atualmente.

Hilton Motta incentivava-nos o estudo, a busca constante pelo aperfeiçoamento, pelo desenvolvimento pessoal.

Jorgito na Rádio Campina FM, fundada por Hilton Motta

BLOG RHCG: Lembramos que a Rádio Campina Grande FM era grande divulgadora do Maior São João do Mundo e da Micarande. Inclusive, lembramos de você com um microfone colado ao trio elétrico para transmitir nosso carnaval fora de época. O que você lembra-se deste período?

JORGITO: Eu tinha o melhor trabalho do mundo! Normalmente, trabalho e diversão são coisas diferentes, mas não pra mim. Eu trabalhava me divertindo e me divertia trabalhando. Fizemos a cobertura de grandes shows no Spazzio e no Forrock. Íamos aos camarins e podíamos ver as apresentações lá em cima, no palco. Na Micarande, tínhamos trânsito livre em todos os blocos e até em cima dos trios elétricos. Quando não estávamos transmitindo as emoções da festa ao vivo, gravávamos e fazíamos programas especiais na rádio. Tenho alguns shows daquela época gravados em fitas K-7. Talvez algum dia digitalize-os.

No São João, além de usarmos a “unidade móvel” para cobrir os principais eventos juninos em todos os pontos da cidade e os já mencionados shows, passávamos os 30 dias instalados no Parque do Povo, fazendo flashes ao vivo da “Caipira FM”, um estúdio montado com modernos equipamentos e o layout de uma casinha do sertão. Era lá que entrevistávamos os convidados sentados numa rede (brincávamos com o trocadilho: “transmissão em rede”).

Eliane, Jorgito e José Orlando na rede da Campina FM, durante o Maior São João do Mundo

BLOG RHCG: Já que falamos nas duas maiores festas da história de Campina Grande, outro colaborador do RHCG, Johan van Haandel, também nos enviou uma pergunta para você: “Ele (Jorgito) viveu a fase de transição do rádio mais eclético para o rádio mais popularesco (início da década de 1990, acompanhando o sucesso do São João e o boom da Micarande), pergunto como ele vê hoje o que o rádio fazia naquela época em relação ao repertório e qual foi a contribuição dele”?

JORGITO: Naquela época, havia uma maior preocupação com o conteúdo, com a qualidade do que era transmitido. Não raro, tínhamos programas apresentados por professores, pesquisadores, colecionadores de discos, gente muito preparada e apaixonada pela música e pelo rádio. Havia uma pacífica e natural convivência entre as esferas lúdica e educativa nas programações.

Hoje, a busca frenética pelos melhores índices de audiência relegou a qualidade das programações a um plano inferior. Com raríssimas exceções, temos emissoras comerciais fazendo suas programações com o mesmo nível do que se fazia em décadas passadas.

Creio que minha modesta contribuição (se é que pode se ver dessa forma) foi a quebra de alguns paradigmas no que diz respeito à forma de fazer locução naquela época, trazendo um pouco mais de informalidade, uma maior proximidade do locutor com os ouvintes.

BLOG RHCG: Você ficou famoso também como DJ, tocando em algumas boates de Campina Grande que fizeram história, a exemplo da Skina e da Vogue. Também lembramos de outra marcante, a Discovery. Gostaríamos que você lembrasse aos leitores do RHCG como eram essas boates?

JORGITO: Curiosamente, a atuação no rádio e nas festas guarda algumas semelhanças. Em ambas, a música é o principal instrumento de trabalho, enquanto que a diversão, o entretenimento, a satisfação de seu público, o fim a ser atingido. Eu sempre quis estar ali do outro lado, nos “bastidores” ou no “palco”, fazendo as pessoas felizes.

Minha ligação mais forte foi com a Skina, a primeira boate que frequentei e onde trabalhei como DJ por mais tempo.

Boite Skina (Acervo Fernando Lima)

Não cheguei a tocar na Discovery, mas acho interessante mencioná-la aqui porque foi um projeto muito avançado para a época. Até hoje as pessoas se impressionam quando falo que Campina Grande teve uma boate em forma de nave espacial, com paredes de alumínio, onde os garçons se vestiam como os personagens de Star Trek.

Boite Discovery (Acervo André Barros)

Também participei de muitas festas na Vogue em Campina, como DJ convidado. Todas elas foram importantíssimas para a juventude campinense. Eram espaços de muita diversão e descontração, onde nasceram amizades duradouras e até namoros despretensiosos que culminaram em casamentos.

Boite Vogue (Acervo Marcelo Arruda-DJ Mostarda)

BLOG RHCG: Temos em nossos arquivos, um trecho de sua participação no programa do humorista Shaolin na TV Borborema (PARA ASSISTIR CLIQUE AQUI). Você lembra?

JORGITO: Aquele vídeo foi algo absolutamente inesperado, quase um improviso. O programa de Shaolin fazia muito sucesso na TV. Eu estava no estúdio para fazer a locução de um comercial e acabei entrando naquela brincadeira. Lembro que a gravação foi interrompida inúmeras vezes porque nós não conseguíamos parar de rir. Conheci Shaolin ainda como cartunista do Jornal A Palavra. Ele sempre foi muito talentoso. Nos tornamos grandes amigos.

Jorgito e Shaolin

BLOG RHCG: Você hoje está radicado em João Pessoa. Gostaríamos que você nos contasse como ocorreu esta mudança de Campina Grande para a Capital do Estado e quais as principais diferenças das rádios das duas cidades?

JORGITO: No auge das casas de shows em Campina Grande, eu gravava muitos comerciais para o Spazzio e o Forrock. João Gregório, proprietário do Forrock, adquiriu a Rádio Arapuan e me convidou para apresentar alguns programas durante os finais de semana. Eu ainda era locutor da Campina Fm e fiquei um bom tempo fazendo essa ponte Campina - João Pessoa. Virei workaholic!

Jorgito na Rádio Arapuan em 1996

Depois, surgiu a afiliada da Jovem Pan, com programação essencialmente transmitida via satélite. Havia um interesse em dar uma “cor local” à emissora e eu fui chamado para coordená-la. Foi a partir daí que precisei me instalar definitivamente na capital.

Quanto às diferenças entre as FMs pessoenses e campinenses, vejo essencialmente duas: a primeira é que em Campina, como há um número menor de emissoras - e para atender a um espectro mais abrangente do público - as programações são segmentadas por horários, ou seja, uma mesma rádio toca, por assim dizer, forró, música eletrônica e MPB. Aqui em João Pessoa, a segmentação se dá por emissoras, já que existem em maior número. Temos algumas rádios que tocam só forró, outras que tocam só música para o público adulto, outras só transmitem notícias, etc.

Outra coisa que me chama atenção é que em Campina, a maioria dos radialistas das FMs  são da própria cidade. Aqui em João pessoa, boa parte dos profissionais é oriunda de cidades como Sousa, Cajazeiras, Guarabira e também Campina Grande, como é o meu caso.

Jorgito na Rádio Campina FM em 1996

BLOG RHCG: O que você está fazendo atualmente?

JORGITO: Sou coordenador da Rádio Cabo Branco FM, pertencente ao Sistema Paraíba de Comunicação, e estou concluindo o curso de Direito (que havia iniciado ainda nos anos 90 em Campina, na UEPB, e nunca havia terminado). Pretendo seguir a vida acadêmica nessa área. Ainda atuo como DJ, mas diminuí significativamente a quantidade de festas. Os estudos e o convívio familiar ficam bem prejudicados quando você passa todas as noites dos finais de semana trabalhando. A qualidade de vida passou a ser prioridade.

JORGITO COMO DJ NA "RECORDANDO A SKINA" EM  15-05-2009

BLOG RHCG: Pensa em voltar a Campina Grande para trabalhar em nossas rádios?

JORGITO: Confesso que nunca parei para pensar a respeito. Tudo em minha vida aconteceu repentinamente. Minha única preocupação sempre foi curtir o presente, fazendo de maneira honesta e responsável aquilo que gostava, o que me trazia felicidade. Hoje, sou pai de um garotão de 5 anos de idade. É a felicidade dele e de minha família que me movem agora. Todas as noites, entrego os meus passos seguintes, o meu destino, nas mãos de Deus.

Mas já que surgiu a pergunta, não descarto essa possibilidade. Confesso até que senti um frio na barriga só em pensar. Fazer locução (ou qualquer outro trabalho) em Campina Grande é motivo de muita emoção, muita alegria pra mim. É minha terra, é onde estão minhas raízes e minha ligação com a cidade é muito forte.

Jorgito entrevistando o cantor Fábio Jr. para a Rádio Campina FM

BLOG RHCG: Agradecemos a participação e gostaríamos de saber sua opinião sobre o resgate que o Retalhos Históricos de Campina Grande está fazendo?

JORGITO: Trata-se de um trabalho de valor inestimável, tanto para os campinenses como para qualquer pessoa que queira conhecer, com a maior fidelidade possível, a história de nossa Campina Grande. Outro dia estava vendo sua lista de colaboradores. É muito bacana ver tantas pessoas empenhadas em preservar a memória de nossa cidade. Sempre acompanhei o blog e costumo passar horas lendo as postagens, sentindo-me como se estivesse viajando em uma máquina do tempo, recordando personalidades, lugares e fatos que me são bastante familiares.

ENTREVISTANDO REGINA CASÉ - SÃO JOÃO DE CAMPINA

19 comentários

  1. Anônimo on 27 de agosto de 2014 10:47

    Muito bom este depoimento de Jorgito.
    Lamentei apenas ele não citar os nomes dos dois responsáveis pela entrada dele nessa profissão de locutor/DJ,os irmãos(hoje radicados no Recife)Lincon e Liranildo.
    Falou apenas genericamente em "uma agência de publicidade".
    Gratidão é um detalhe muito importante em nossas vidas.

     
  2. Rosangela Pereira on 27 de agosto de 2014 11:20

    Que legal. Quando era adolescente e morava em Campina, escutava a Musica do Ouvinte com ele. Saudades daquele tempo...

     
  3. Mário Vinícius on 27 de agosto de 2014 11:35

    Jorgito foi meu aluno na UEPB entre 1994-96... Fiquei surpreso por não ter concluído o curso de Direito, ainda. Bem, voltando ao aspecto do seu período na Campina FM, havia um programa que ele apresentava denominado "Alegria Geral". Recordo que o jingle era esse :

    "Quando Jorgito bota a voz no microfone,
    Anunciando que o programa está no ar
    Alegria geral, alegria geral,
    A festa vai começar,
    Alegria geral, alegria geral,
    Jorgito está no ar.

    Toca pagode, samba, reggae e forró
    toca tudo que é sucesso
    ré-mi-fá-sol-lá-si-dó

    Toca pagode, samba, reggae e forró
    toca tudo que é sucesso
    ré-mi-fá-sol-lá-si-dó

    Alegria geral, alegria geral,
    A festa vai começar,
    Alegria geral, alegria geral,
    Jorgito está no ar.


    Neste tempo, eu trabalhava no BB, em um setor que fazíamos diversas atividades atendendo outras agências. Como som ambiente, ouvíamos a Campina FM. Um dia, por brincadeiras, convencionamos que toda vez que começasse a chamada do programa seria o sinal que o atendimento dos pedidos ficaria somente para o dia seguinte. Deixei o BB em 1996 e, segundo soube, a coisa continuou assim até que houve a reestruturação do setor e os funcionários foram distribuídos para outras funções.

     
  4. Aroldo Alexandre Alves on 27 de agosto de 2014 12:52

    Jorgito foi meu colega no curso de direito da furne,lembra?

     
  5. Lourdes Arruda on 27 de agosto de 2014 12:53

    JORGITO, VOCÊ MERECE

     
  6. Adriano de Figueiredo on 27 de agosto de 2014 12:54

    Conheci Jorgito na Ordem Demolay. Cara super legal.

     
  7. Manoel Leite on 27 de agosto de 2014 12:55

    Ficou Legal viu. Mas ja teve alfinetada.

     
  8. Samia Wanderley on 27 de agosto de 2014 13:34

    ê Jorgito lembro do começo dele sempre foi competente!

     
  9. Johan van Haandel on 28 de agosto de 2014 07:24

    Minhas maiores lembranças com o Jorgito são do dancing night, principalmente o ultimo bloco dedicado aos flashbacks, em que ele costumava nos anos 90, tocar os hits da metade dos anos 80. A ideia do bloco de flashbacks se mantem ate hoje, em que ele se tornou maior no programa e conta com uma hora de duração.

     
  10. JOSE TARGINO NETO on 28 de agosto de 2014 10:11

    JORGITO, TALVEZ NÃO SE LEMBRE DE MIM(ZEZIHHO),SOU AMIGO DE SANDRO,SERGIO E TATÁ FARIAS,E CERTO DIA TEUS PAIS TINHAM VIAJADO E FOMOS DORMIR NA TUA CASA E LÁ ME LEMBRO BEM QUE VOCÊ JÁ FAZIA A VEZ DE LOCUTOR, USANDO O SOM DA TUA CASA, ADAPTANDO UM MICROFONE NA "RADIOLA"E FAZENDO A LOCUÇÃO E DEPOIS SOLTANDO O SOM DO LP(BOLACHÃO) COM A FAIXA MUSICAL.PARABÉNS PELO SUCESSO.

     
  11. Honório Pedrosa on 17 de setembro de 2014 11:15

    Jorgito me lembra muto o grande BIG BOY da radio Mundial do RJ.

    Boa reportagem, parabéns ao blog e um abraço ao Jorgito.

     
  12. Anônimo on 17 de outubro de 2014 21:21

    Como sempre, sou fã!!!

     
  13. nevissima on 19 de outubro de 2014 20:08

    GRANDE JORGITO!!! FOI MEU COLEGA NO COLÉGIO IM
    ACULADA CONCEIÇÃO. BONS TEMPOS, SEMPRE ESTAVA NOS ENTREVISTANDO COM UM MICROFONE FEITO DE PAPEL DE CADERNO.

     
  14. fatima souza on 8 de janeiro de 2015 19:26

    Jorgito sempre foi e é muito carismático. Quando ele falava na Rádio, qualquer coisa, sempre chamava a atenção dos que estavam ouvindo. Porque simplesmente ele nasceu para ser locutor.

    Esse carisma de Jorgito fazia com que as meninas, quase que de todas as idades, naquela época, se apaixonassem por ele, que foi o meu caso. Porém eu era muito tímida e nunca me aproximei dele. Acho que os meninos da época tinham muita inveja dele, porque a sua presença era muito forte, mesmo que apenas ouvindo a sua voz, "coisa de Deus".
    JOrgito, que Deus continue te abençoando, bem assim, a sua família.

     
  15. Rodrigo E Valcenia Moura on 22 de março de 2015 20:37

    Valcenia Siqueira Moura
    20 min · Campina Grande ·
    Lembrando da personagem Maria Lurça, ligando para Jorgito, no inesquecível Programa Alegria Geral. Era a melhor parte do dia para a gente. Que saudade!!!! Jorgito era maravilhoso para com a minha mãe, ele queria que ela saísse de anonimato e queria contratá-la.

    valcenia@hotmail.com

     
  16. Bráulio Nóbrega on 9 de abril de 2015 22:28

    Que post bacana!
    Parabéns, Jorgito, por sua história de trabalho.

    Esse na última foto é o Gilson Lira? Ele era da Imprensa ou já estava envolvido com Turismo?

     
  17. andre on 1 de maio de 2017 15:55

    Tem mais foto do ultraje desse evento?

     
  18. andre on 1 de maio de 2017 15:56

    Tem mais foto do ultraje desse evento?

     
  19. Wagner Wagner on 23 de julho de 2017 16:41

    O Jorgito e fera, sou Fã de verdade desde da campina fm, faz um bom tempo, Deus ilumine ele sempre,.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br