Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?



Em 1968, quando já tinha 43 anos de vida, o Treze se "internacionalizou". Nessa temporada, fez uma série de amistosos contra times do exterior como por exemplo, a Seleção da Romênia e o Rampla Juniors do Uruguai.

Tudo começou no dia 20 de janeiro, quando o Treze enfrentaria nada mais, nada menos, do que a Seleção da Argentina. Certo que era um time "de novos", denominação dada às equipes aspirantes das Seleções. Esses selecionados eram preparados para disputar Jogos Olímpicos, Torneios Pré-Olímpicos, Jogos Pan-Americanos e outros torneios famosos, como por exemplo, o Torneio de Toulon, o qual o Brasil conquistou em algumas ocasiões.

Esse time da Argentina fez uma série de amistosos pelo Brasil. Não era um bom time. Vale lembrar, que desde meados da década de 50, a Argentina estava passando por um período de entressafra. Nomes como Di Stefano e Cia., estavam no passado. Desta forma, explica-se a derrota dessa seleção para times fracos, como o Central de Caruaru (2x1) e para o Sergipe (3x1). Mesmo assim, era um time que merecia ser respeitado, com vários atletas que seriam campeões na Argentina nos anos seguintes.

Foto do Livro sobre a História do Treze de Mario Vinicius Carneiro Medeiros

Assim, o Estádio Presidente Vargas que em sua história recebeu nomes como Garrincha, Nilton Santos, Castilho e inclusive a Taça Jules Rimet, seria o palco desse jogo, que não é preciso relatar, foi o alvo das atenções da cidade e da imprensa paraibana.

Iniciada a partida, o Treze apresentou-se melhor do que a Argentina, mostrando um bom futebol. Porém, alguns atletas do Galo não estavam bem, talvez o nervosismo atrapalhasse. Era o que estava acontecendo com o goleiro Aurilio, por exemplo.

O fato é que as falhas individuais foram os responsáveis pela derrota do Treze. Exemplo disso foi quando o bom jogador Antonino falhou no lance do primeiro gol da Argentina, marcado por Valentini. O atacante argentino aproveitou-se de uma bola mal recuada para o goleiro e na saída desse, com categoria colocou a bola no gol.

O Galo reagiu ainda no primeiro tempo e acabou empatando a peleja, com tento do ex-vice-prefeito de Campina Grande, Zé Luiz. O gol do Treze foi bastante parecido com o da equipe argentina, onde o ponta aproveitou a saída do goleiro Casarino e tocou firme, para logo após ir comemorar com a massa alvinegra.

Foto do Livro sobre a História do Treze de Mario Vinicius Carneiro Medeiros

Parecia agora que o Treze partiria firme para a vitória. Só parecia. No segundo tempo, novamente as falhas individuais ocorreram. O algoz do Galo, o atacante Valentini, faria o seu segundo gol. Agora, foi à vez de Janca falhar, quando ao tentar desviar uma bola não conseguiu seu intento. É de salientar, que Aurilio também errou ao não sair da meta para cortar a jogada.

Ao final do tempo regulamentar, o Galo ainda conseguiria empatar o jogo, quando Janca, reabilitando-se da falha anterior, chutou forte uma falta, quando apareceu Paluca, que acabou por atrapalhar o guarda-metas argentino Feliceti, que entrara no lugar de Casarino. A bola ainda tocou no zagueiro Crossi, porém, o árbitro da partida, o senhor Evanilson Menezes, deu o gol a Janca.

Todos pensavam que o 2x2 seria o placar final do jogo. Entretanto, para a tristeza dos torcedores que compareceram ao PV, o carrasco Valentini novamente daria as caras. O goleiro Aurilio falharia mais uma vez e ao apagar das luzes, a Argentina conseguiria a vitória numa partida sensacional, que por muito tempo ficou na memória dos esportistas de Campina Grande.

Ficha Técnica:

Treze 2x3 Seleção da Argentina (De Novos) 
Data: 20/01/1968
Competição: Amistoso
Local: Estádio Presidente Vargas - Campina Grande-PB
Árbitro: Evanilson Menezes
Treze: Aurilio; Janca, Antonino, Mané e Valdeci; Leduar (Zé Pequeno) e Pedrinho; Lima, Facó (Paluca), Chicletes e Zé Luiz (Nogueira).
Argentina: Casarino (Felicetti); Marenda, Grossi, Camino e Niglio; Jara e Busti; Flores, Weber (Amarilla), Valentini e Nogara
Marcadores: Zé Luiz e Janca (Treze); Valentini (Argentina) (3)

Fontes Pesquisadas:

Diário da Borborema (Janeiro de 1968)
Diário de Pernambuco (Site da Internet)
Site do Clube Sergipe
Livro "Treze Futebol Clube: 80 anos de História" - Prof. Mario Vinicius (Fotos)
Site "Trezegalo"

2 comentários

  1. Aldheyr Taay on 3 de maio de 2013 14:50

    Não sabia dessa

     
  2. Mário Vinícius on 2 de setembro de 2015 22:22

    Lembrando, somente, que antes o Treze já enfrentara o Velez Sarsfield, em 1951, e o Dínamo de Bucarest, em 1961.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br