Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Os registros esportivos abaixo, nos foram cedidos por Lauthenay Perdigão do site ww.museudosesportes.com.br. São fotos de Campinense e Treze, retiradas a maioria da Revista Placar. Que tais registros empolguem nossos times na atual temporada que se inicia (Cliquem para ampliá-las).

 Uma das formações do famoso hexa do Campinense (1965)

Outra formação da Raposa Feroz em 1965


O Campinense campeão paraibano de 1991, observem na foto o então jovem Marcelinho Paraíba





5 comentários

  1. Jobedis Magno de Brito Neves on 8 de janeiro de 2011 15:37

    A segunda foto è da equipe amadora do raposinha que tinha muitos atletas que subiram para os profissionais entre eles se destacaram o Goleiro Sarau, o ponteiro Paulinho e Keka. A década de 60 ficou marcada pelos campeonatos amadores da cidade que contavam com a participação de jogadores consagrados no futebol de pelada da cidade. Em 1965 a raposinha conquistou o campeonato amador de forma brilhante. O rubro-negro foi campeão amador ganhando de todos os participantes até com certa facilidade devido aos grandes jogadores que possuia.

     
  2. Anônimo on 17 de maio de 2011 12:45

    Estou felicíssimo!!!!!Meu nome é Oscar Claudino Filho; era conhecido por "Oscarzinho". Sou o ponta esquerda que aparece na foto da saudosa e vencedora equipe amadora.

     
  3. oscar claudino filho on 17 de maio de 2011 12:46

    Estou felicíssimo!!!!!Meu nome é Oscar Claudino Filho; era conhecido por "Oscarzinho". Sou o ponta esquerda que aparece na foto da saudosa e vencedora equipe amadora.

     
  4. Anônimo on 17 de maio de 2011 12:53

    Sr. Jobedis,
    Parabéns pelas postagens.Me chamo Rômulo Flávio, 35 anos, sou filho do ponta esquerda do raposa amador(1º sentado da direita para esquerda).Seu nome é Oscar. Há anos meu pai falava sobre essa marcante época em sua vida, quando para se jogar bola era obrigatório chutar com as duas pernas e ter muita intimidade com a pelota.Certa vez viajando com meu pai numa cidade vizinha do RN, paramos em uma farmácia. O sr. idoso que nos atendeu foi questionado por meu pai Oscar se ele se recordava de um clássico que acontecera anos atrás. Para surpresa minha e de meu pai, o Sr. se recordava, e inclusive perguntou se meu pai era aquele "ponta esquerda que acabou com o jogo fazendo, inclusive, alguns gols". Informo também que meu pai continua firme e forte, 62 anos, todo dia caminha e nada na praia e "de quebra" encanta os amigos da praia com embaixadas e dribles fenomenais. Beijão Pai Te Amo.Marcou história.

     
  5. Anônimo on 10 de setembro de 2012 15:07

    eu achei linda a historia.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br