Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Se a vinheta do Plantão da Rede Globo causa espanto em seus telespectadores, imaginem o mesmo efeito partindo da mídia radiofônica!

Estamos falando de Campina Grande, da Rádio Borborema... do Campinense Repórter, que marcou época nos famosos plantões de notícias da ZY07, surgido em 1950.

Ouvir o tema de abertura do programa, que interrompia a programação normal da Rádio, causava expectativa em toda população. O multimídia Bráulio Tavares, em seu Blog Mundo Fantasmo, escreveu o seguinte sobre o tema de abertura deste programa:

"Não sei até hoje qual é a peça de música orquestral que servia de característica musical para o “Campinense Repórter”, o noticiário de emergência da Rádio Borborema em minha infância. Provavelmente um pedaço inocente de música clássica que, pela utilização que recebeu, transformou-se na música mais ominosa, ameaçadora e agourenta do mundo, para várias gerações da Serra."

A música era tão característica que ao se ouvir seus acordes, os populares se aglomeravam junto ao rádio que a emanava para ouvir atentamente o fato a ser narrado.

Bráulio comenta: "A vida ia correndo mansa, fluindo tranqüila, e em dezenas de milhares de residências os rádios estavam ligados, fornecendo o fundo musical para as tarefas domésticas, os papos de botequim e de barbearia, as corridas de táxi, as salas de espera, quando de súbito a programação se interrompia. Soava então a música: aziaga, angustiosa, repleta de presságios de cataclismos mundiais ou de falecimentos na família. Depois de alguns segundos a música baixava e ouvia-se em gravação a voz clara e firme de Hilton Mota: “O Campinense Repórter – inforrrrma!...” Uma vinhetazinha musical de transição, e o locutor de plantão começava: “Foi encontrado hoje às seis horas, nas proximidades da Estação Velha, o corpo de um indivíduo moreno, aparentando 35 anos, morto com dois tiros no abdômen..” e assim por diante. Terminada a leitura da notícia, voltava a voz de Hilton: “A qualquer momento – em qualquer lugar – pela onda da Rádio Borborema – o Campinense Repórter – voltará – a informarrrr!...” Voltava a vinheta, e voltava a vida ao normal."

Esse era o cotidiano do 'Campinense Repórter', que Hilton Motta comenta no áudio abaixo com o bônus, ao final, da abertura do programa, com a peça orquestral a qual se refere Bráulio Tavares, completa!

Áudio cedido pelo Operador de Áudio da Rádio Cariri Léo Montanha, do acervo do cantor Biliu de Campina.


3 comentários

  1. Mário Vinícius on 18 de setembro de 2014 11:57

    É mesmo inesquecível esta característica do Campinense Repórter. Aliás, houve um fato narrado através deste noticiário do qual eu fiz parte do grupo: a vitória de Campina Grande no "Cidade x Cidade", em 1979.

     
  2. Ronnie on 18 de agosto de 2015 11:21

    Olá, os players de música estão com erro! Teria como repostarem??

     
  3. Anônimo on 3 de abril de 2016 09:59

    Muito bem dito!!
    Um arranjo de Capricho Espanhol, de Rimsky-Corsakov,uma peça romântica,causou efeito inesquecível em gerações!!!

    Braulio José Tavares

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br