Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

O Cassino Eldorado foi o templo da boemia e da luxúria dos senhores do algodão inaugurado em 1º de julho de 1937, em estilo art déco, em plena feira central de Campina Grande. 


Em meio a orquestra fixa da casa, as mesas de Bacará e a animação feérica do salão, mulheres lindas, bem vestidas e perfumadas 'faziam a vida' atendendo aos coronéis do algodão - ou iniciando seus filhos na arte do amor. 

Entre estas, uma tornou-se símbolo da era de ouro dos prazeres campinenses: MARIA DO CARMO BARBOSA, que entrou para a história boêmia-sentimental de Campina Grande como MARIA GARRAFADA; a nossa mais famosa prostituta de todos os tempos. 

Conheceu dias de muitas glórias disputada por homens importantes no Cassino Eldorado e a sua fama virou lenda a ponto de ser, nos anos 80, já idosa e "aposentada" convidada pelo escritor Jorge Amado em visita à cidade, que queria conhecer a sua história, num elegante jantar de intelectuais em homenagem ao escritor. 

Maria Garrafada virou personagem cult de Campina Grande: inspiração de poetas, letra de forrós de sucesso, nome de bar de artistas e até citação em trabalhos de mestrado. Viveu e morreu no famoso Beco da Pororoca, e certa vez em entrevista a um jornalista olhou-se no espelho da sala e perguntou: "em que espelho ficou perdida a minha face?", referindo-se à beleza dos anos em que encantou gerações. 

Gostava de dizer que a sua maior recordação era o Cassino Eldorado no tempo do Carnaval que era muito animado. Usava quatro fantasias, saía de casa no sábado e só voltava na quarta-feira de cinzas.

MARIA GARRAFADA, o Cassino Eldorado, o ciclo do algodão, os antigos carnavais... são símbolos imortais de uma era onde o barato era outro e bem melhor.

http://cgretalhos.blogspot.com.br/2011/06/no-dia-da-prostituta-cordel-maria.html
Clique na imagem parar ler o Cordel de Manoel Monteiro

1 Comment

  1. Anônimo on 31 de dezembro de 2016 12:27

    Não sabia que Maria Garrafada era leitora de Cecilia Meireles.
    A frase que ela(supostamente)disse diante do espelho da casa dela(de acordo com o autor do post), é de um poema de Cecilia.
    Então, feliz ano novo para os poetas e os amantes da poesia.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br