Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?


No início desta semana, uma postagem de Facebook ganhou destaque entre os campinenses e, em pouco tempo, tornou-se um dos chamados "virais" na grande rede.

A jornalista Carol Corso, moradora de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, postou em seu perfil pessoal uma história curiosa, construída à partir de um livro comprado em um sebo.

O livro, "Humildade, Paixão e Morte", de Davi Arrigucci Jr, foi comprado pela internet e ao recebê-lo, Carol encontrou entre suas páginas um marcador com um texto que romantizou todo o contexto.


Eis a íntegra da sua postagem:

Comprei um livro de um sebo pelo Estante Virtual. Chegou hoje!
Mas antes de começar a ler, preciso saber:
Wellington, por que tu não guardaste o marca páginas da tua amiga Virgínia?
Explico: o livro pertencia a um tal de Wellington, de Campina Grande, Paraíba. Descobri isso porque o nome dele está escrito no índice.
Mas ao folhear a obra, achei um marca páginas com um recado atrás:
“Wellington
Que bom ter um amigo legal como você. Adoro a força que você une a si e o carinho que há entre nós. Agradeço a Deus por ter um amigo assim.
Te desejo tudo de bom!
Com carinho. Toda a felicidade para Nós.
Beijão da amiga que te gosta muito,
Virgínia.
Campina Grande, 05/07/1980”
Há 36 anos este marca páginas existe.
A edição do livro que comprei é de 1990.
Wellington assinou seu nome no livro com a data ‘setembro/1996’, então comprou ou ganhou a obra nesse ano. Por isso, se minha matemática não estiver errada, entendo que usou esse marca páginas por, pelo menos, 16 anos.
Será que Wellington casou com Virgínia? Será que eram só amigos? Será que está vivo? Será o que mais? Onde eles estão agora?
Isso pode ser poesia. Um conto. Talvez até um grande romance! Ou "apenas" mais uma história entre tantas outras por aí...
Por que o ‘Nós’ do recado estava sublinhado?
A escrita de cada um fala muito da gente. Pelo menos eu acho.
Wellington, posso devolver o teu marca páginas, se ele ainda for importante para ti. No mais, sou grata por ter deixado ‘Humildade, paixão e Morte’ do Davi Arrigucci no sebo para, depois de 26 anos, vir parar em minhas mãos."

Estudante do curso de Letras, o livro comprado pela gaúcha Carol Corso trouxe curiosidade não só à ela, como à grande parcela dos internautas que compartilharam sua postagem, gerando uma grande busca virtual por "Wellington" e "Virgínia".

Wellington R...???

Esta história não poderia ter surgido em outra situação, que não nas páginas de um livro de poesias... O BlogRHCG, como ferramenta de grande alcance também se prontificou a contactar a autora da postagem e se enquadrar nesta busca por um desfecho para o contexto abordado.

Quem é Wellington? Quem é Virgínia? Onde estavam em Julho de 1980? Onde estão em 2016?

Ajudem-nos!

Frente do Marcador

2 comentários

  1. Mário Vinícius on 24 de agosto de 2016 23:04

    Muito provavelmente, o livro foi vendido pelo Catalivros, de Ronaldo do Sebo. Comprei um livro com a mesma assinatura, sendo a data 07 de março de 1989. Outra consideração: há um professor na EEEFM Monte Carmelo cujo nome é Wellington Rodrigues da Silva, formado em Letras e com especialização em língua portuguesa (informação do Lattes).

     
  2. Angélica Lúcio on 25 de agosto de 2016 19:38

    http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2016/08/marcador-de-livro-de-1986-viaja-pais-com-historia-de-amigos-da-paraiba.html

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br