Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Em meio as notícias do fechamento temporário do Museu Assis Chateaubriand, o Blog RHCG resgata a inauguração do primeiro Museu de Arte da Cidade, no ano de 1967. Tal evento foi tão grandioso, que mereceu reportagem especial da maior publicação impressa do Brasil nos anos 60, a lendária revista "O Cruzeiro". As páginas a seguir contam a história (cliquem nas imagens para ampliá-las):








Mais um retalho de nossa história.

6 comentários

  1. Anônimo on 17 de fevereiro de 2016 21:13

    Nosso presidente Tancredo Neves na foto

     
  2. Soahd on 18 de fevereiro de 2016 08:25

    Lembro que meus irmãos tinham bata personalizada para participar de cursos de artes plásticas nos anos 70, lá em casa tem foto da turma deles na area do jardim, com uma escultura no centro, antes deles entrarem para as aulas. O museu abrigava artes e também estimulava jovens para o gosto artístico, acho que hoje é raro ter cursos de pintura, escultura...no máximo incentivam a musica e dança.

     
  3. Romero Azevêdo on 18 de fevereiro de 2016 13:32

    Há 50 anos as coisas eram bem mais complicadas que hoje, no entanto esse Museu foi inaugurado e deu uma contribuição gigantesca para a arte e cultura na Paraiba.

    Hoje, com todas as facilidades do mundo (internet, impressoras 3-D, comprovação das ondas gravitacionais, TV 4K, Copa e Olimpíadas no Brasil...), o governo do estado, via UEPB, dá um "presente" a Campina no ano do cinquentenário do Museu anunciando melancolicamente o seu fechamento.

    Crise econômica ? Não. Crise de inteligencia, crise de sensibilidade, crise de consciência.

    Que o Ministério Público (só podemos contar com ele hoje) investigue a fundo esse fechamento e devolva o Museu ao seu verdadeiro dono: o povo de Campina.

     
  4. Anônimo on 18 de fevereiro de 2016 14:44

    Enquanto isso em João Pessoa, que já ganhou o super luxuoso e caríssimo teatro Pedra do Reino, nesta sexta o governador dá mais um presente de verdade a sua cidade (que ele criou o eufemismo de "capital de todos os paraibanos" para justificar os altos investimentos do governo feitos por lá)e vinaugura um cinema de verdade (não aquele arremedo que é o Cine São José, feito para tapiar os bestas).


    Confiram:http://paraibaonline.net.br/ricardo-inaugura-novo-cine-bangue-do-espaco-cultural-nesta-sexta-feira/

     
  5. Anônimo on 18 de fevereiro de 2016 20:53

    Concordo em genêro, número e grau.
    O cine Banguê foi totalmente recuperado e equipado com projetores digitais modernos.
    Enquanto isso, o pobre cine São José ainda não cumpriu sua função principal que é exibir filmes, pois não tem equipamentos prá isto.
    É fato notório que o governador atual não está nem ai para a nossa cidade, oferecendo sempre "os restos" dos investimentos milionários que está fazendo na cidade dele João Pessoa.
    Acorda Campina!

     
  6. cleudo on 20 de fevereiro de 2016 21:22

    QUANDO UM GOVERNO SE PROPOR A FECHAR QUALQUER ORGÃO PUBLICO,QUE SE FAÇA UM PLEBISCITO JUNTO A POPULAÇÃO.O POVO É O VERDADEIRO E UNICO PATRÃO DAQUELES QUE O REPRESENTA,SEJA NA ALÇADA MUNICIPAL OU ESTADUAL E FEDERAL.NÃO SE PODE FECHAR UM LUGAR ONDE GUARDA A HISTORIA SOCIAL E PLÍTICA,REPRESENTADA PELA A ARTE DO PASSADO E PRESENTE DE UMA CIDADE.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br