Serviço de Utilidade Pública - Lei Municipal nº 5096/2011 de 24 de Novembro de 2011
Criado por Adriano Araújo e Emmanuel Sousa
retalhoscg@hotmail.com

QUAL ASSUNTO VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

Quando criamos o "Retalhos Históricos de Campina Grande", uma de nossas inspirações para tal fato, talvez a maior, foi um documentário que tinha sido feito naquele período, o "Balões de 74" do diretor Luciano Mariz. O filme relatava a tragédia ocorrida no bairro de José Pinheiro no ano de 1974, quando um cilindro de gás explodiu, atingindo várias pessoas que estavam em um parque de diversões. O Blog RHCG já abordou em suas páginas várias vezes o ocorrido, material este, que pode ser lido clicando-se AQUI e AQUI . O fato é que esta tragédia, acabou se tornando um dos fatos marcantes da história de Campina Grande, a exemplo da morte de Félix Araújo, da seita "Borboletas Azuis", da Tragédia da Praça da Bandeira, o "Mão Branca"  e outros menos votados.

Luciano Mariz, gentilmente autorizou a reprodução do seu filme aqui no blog, o que ficamos honrados e agradecidos, pois o material é excelente e agora está acessível para todos os historiadores, curiosos e público em geral, fazendo agora parte do acervo do blog. O filme pode ser assistido clicando-se abaixo:




“Os balões de 74”
Luciano Mariz



SINOPSE


Domingo de natal. Crianças brincam nas calçadas e os fiéis deixam a igreja depois da missa de fim de tarde. A rua, intransitável, divide-se entre pessoas e brinquedos de um simplório parque de diversões. Seria uma imagem poética, se não estivéssemos falando de uma das maiores tragédias ocorridas na cidade de Campina Grande, PB. Em 1974, o cenário de beleza ganhou expressões grotescas e marcas de sangue as quais ecoam até hoje na memória dos sobreviventes. Entre o fictício e o real, a alegria e o sofrimento, o presente e o passado: “Os balões de 74” traz à tona uma história esquecida pelas novas gerações, mas que ainda hoje é uma recordação viva para os mais velhos. Ouvir os sobreviventes e parentes de vítimas da tragédia, cerca de três décadas depois, é como ouvir o ressoar daquela explosão.


Os Balões de 74
Direção Geral: Luciano Mariz
Direção de Produção: Hingrit Nitsche

Patrocinadores:

- Prefeitura Municipal de Campina Grande – Secretaria de Educação, Esporte e Cultura
- Prefeitura Municipal de Boqueirão – CEFAR
- Câmara Municipal de Campina Grande
- Nutricarnes
- Universidade Federal da Campina Grande - UFCG

FICHA TÉCNICA

Direção Geral
Luciano Mariz

Produção Executiva
Hingrit Nitsche
Luciano Mariz

Roteiro
Luciano Mariz
Nathan Cirino

Assistência de Direção
1º. Assistente: Fabiano Raposo
2º. Assistente: Sabrina Moura

Direção de Produção
Hingrit Nitsche

Assistência de Produção
Cristiane Patrícia Melo Amorim
Lunara Araújo
Mainara Rodrigues Nóbrega

Pesquisa
Sabrina Moura
Rebecca Cirino

Assistência de pesquisa
Vinicius Queiroz

Direção de fotografia
Helton Paulino
Jhésus Tribuzi Lula

Assistência de Fotografia
1º. Assistente: Ian Abé Mafiollete
2º. Assistente: Hugo Felinto

Cinegrafistas:
Anderson Santiago
Paulo Calixto
Hoberdan Dias

Direção de Arte 
Fernando Rabelo
Ricardo Garrido

Assistência de Arte
Emídio Medeiros

Arte Gráfica
Elton Fernandes Ramos

Direção de Áudio e Edição de Som
Gustavo Sobreira Rocha

Assistência de Áudio
1º. Assistente: Rennan Ribeiro
2º. Assistente: Bernardo Hennys

Técnico de som de gravações de áudios off
Zé Newton Sousa Filho

Trilha Sonora Original
Nilson Lopes

Vozes off
Evilásio Junqueira
Flávio Barros
Hingrit Nitsche
Iuska Cyntia Mariz Galvão
Massilon Gonzaga

Direção de Platô
André Luiz Almeida

Assistência de Platô
1º. Assistente: Ludemberg Bezerra
Adriana Sá
André de Brito Leano
Estela Maris de Medeiros e Oliveira
Liliana Patrício Vieira
Luciana Nascimento Urtiga
Marina Moura Ribeiro
Moema Vilar
Nicole Camelo Felipe
Pâmella Leite
Priscylla Araújo Lucena
Renata Fernandes
Vinicius Queiroz

Still
Daniela Morais
Poliana Urtiga

Story Board
Luís Carlos Venceslau

Claquete
Giotto Andrade Braz

Contra-regra
Emídio Medeiros

Montagem
Luciano Mariz
Sabrina Moura

Edição e Finalização
Leandro Ponciano


Contatos:

Luciano Mariz - 8858 0766
lucianomariz@gmail.com

22 comentários

  1. Anônimo on 30 de agosto de 2014 10:22

    Realmente foi muito triste. Parabéns pelo documentário!!!

     
  2. Soahd on 30 de agosto de 2014 22:47

    Muito bom, parabéns a toda equipe que produziu com muita qualidade a parte de ficção na simulação, e o levantamento historico.

     
  3. Rita Soares on 1 de setembro de 2014 08:08

    FOI MUITO TRISTE... ESSA TRAGEDIA ACONTECEU NA RUA CAMPOS SALES NO BAIRRO DE JOSÉ PINHEIRO !!

     
  4. Veronika Sousa de Morias on 1 de setembro de 2014 08:09

    Eu lembro! !! Eu e meus pais estivemos nesse local horas antes da explosão do cilindro de oxigênio! !!! Eu tinha 10 anos! !!! Foi terrivel

     
  5. Carlos Jotaerre on 1 de setembro de 2014 08:09

    eu estava nesta festa quando isso aconteceu !

     
  6. Valdir Barros on 1 de setembro de 2014 08:11

    Lembro bem dessa tragédia! Eu tinha 14-anos

     
  7. Janaína Costa on 1 de setembro de 2014 08:11

    Eu recomendo, o documentário é simplesmente impactante, nos faz refletir, é extremamente emocionante!

     
  8. Soahd on 1 de setembro de 2014 08:13

    Lembro demais, estava na Casa de Saude Francisco Brasileiro com meu irmão operado Abdalah Rached, quando chegavam as vitimas...

     
  9. Fábia Leal on 1 de setembro de 2014 08:14

    Muito bem produzido o documentário. Parabéns a quem fez e tbm ao Retalhos Históricos de Campina Grande por disponibilizá-lo. Um triste relato da história de CG.

     
  10. Brigitte Bardot on 1 de setembro de 2014 08:14

    LEMBRO MUITO BEM, EU ESTAVA LA COM MEUS IRMÃOS, NA FILA DA RODA GIGANTE, QUANDO OUVI A EXPLOSÃO. EU VI PEDAÇOS E MIOLOS DE PESSOAS, CARREGADA NO CAMINHÃO. OS VIDRO DA IGREJA QUEBRADOS, PESSOAS CORRENDO SEM SABER O QUE ESTAVA ACONTECENDO. ETC....

     
  11. Jaqueline Poole on 1 de setembro de 2014 08:15

    Inesquecível... Um natal triste foi aquele!

     
  12. Nilda Farias on 1 de setembro de 2014 08:16

    Eu não sabia disso...que tristeza!!

     
  13. Felipe Travassos on 1 de setembro de 2014 08:16

    Sempre passei ali na frente...

     
  14. Fabiolla Furtado on 1 de setembro de 2014 08:17

    Vi a igreja e lembrei de vocês. Agora vão passar aí com os olhos dessas memórias. Legal esse trabalho.

     
  15. Suzete Lira on 1 de setembro de 2014 08:18

    Foi uma tragédia mesmo, não tem como não se emocionar!!!

     
  16. Andréia Freitas on 1 de setembro de 2014 08:18

    Que coisa horrível! Eu não sabia desse acontecimento

     
  17. José Hermenegildo da Costa on 1 de setembro de 2014 08:19

    teve até uma parente minha que se ferio. mas ela estava a uns 60 metro de distancia mais não foi muito grave

     
  18. José Pedro Nascimento on 1 de setembro de 2014 08:20

    Nessa época eu era diretor da SAB de Zé pinheiro, entidade que promovia este evento , 30 dias antes eu viajei pra são paulo , foi um grande livramento

     
  19. Anônimo on 1 de setembro de 2014 11:16

    Na época eu tinha comprado um rádio "Transglobe" da Philco,e,de noite,quando estava testando o receptor, ouvi a noticia da tragédia na BBC de Londres(serviço brasileiro).Curiosamente a noticia foi lida pelo locutor campinense,Flávio Barros que trabalhava na emissora londrina.
    O documentário é bom mas não conta tudo.Ficaram faltando alguns detalhes.

     
  20. Paula Rogeria on 20 de dezembro de 2014 23:44

    Um tio meu, estava nesse momento, da esplosao por sorte, Deus o livrou, mais conta ele que foi uma cena terrivel, perdeu toda a roupa que tava, ate miolos tinha na roupa dele.

     
  21. JASON LIMA on 27 de dezembro de 2014 17:49

    Eu estava nesse festa no José Pinheiro e me lembro nitidamente que que tinha um senhor batendo com uma pedra e um garrafão para encher bolas de assopro. Passei e fui junto com meu irmão e amigos para a casa de uma amiga da família. Quando retornei para a minha casa na Rua Vigário Calixto, 100, Catolé: Ouvi a explosão que fora ouvida em toda a cidade, pois logo chegaria a notícia das vitimas do acidente.
    Nessa época tinha 10 anos e não retornei para ver o acidente por que não tive coragem, mas meu irmão foi ver de perto e disse que viu morto e muitos mutilados.

     
  22. Gell Rodrigues on 3 de setembro de 2016 19:52

    Morava no Jose Pinheiro nessa época, apesar de mto criança tenho lembranças do ocorrido e ver baloes voando no ceu.. Morava na rua Regente Feijó
    Minhas irmãs e primos estavam no lugar tinham entre 10 e 14 anos.. Foi mto triste tudo.

     


Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br